Tomaz Silva/Agência Brasil
Tomaz Silva/Agência Brasil

Companhia de Águas do Rio vai usar argila para melhorar qualidade da água

Depois do carvão ativado, a companhia informou que está usando também argila ionicamente modificada para impedir a proliferação de algas. A argila já é usada no Rio Grande do Sul e na Bahia

ROBERTA JANSEN, RIO DE JANEIRO

29 de janeiro de 2020 | 15h26

A Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae) anunciou nesta quarta-feira, 29, a adoção de mais uma medida para melhorar a qualidade da água distribuída no Rio. Depois do carvão ativado, a companhia informou que está usando também argila ionicamente modificada para impedir a proliferação de algas.

A argila foi lançada nesta quarta-feira na lagoa próxima à captação de água da Estação de Tratamento do Guandu. De acordo com a companhia, o produto indisponibiliza o fósforo, nutriente indispensável para o crescimento das algas.

A argila já é usada no Rio Grande do Sul e na Bahia e, segundo a Cedae, já foi usada também no Reino Unido. O produto tem registro junto ao Ibama e foi licenciado pelo Instituto Estadual do Ambiente (Inea). De acordo com a companhia, a argila é eficaz e segura do ponto de vista ambiental.

Serão realizadas, inicialmente, três aplicações de argila, em caráter de teste, que serão monitoradas por técnicos da Cedae, do Inea e da empresa fornecedora do produto. Desde a última quinta-feira, 23, o carvão ativado começou a ser usado na Estação de Tratamento de Guandu, para filtrar a geosmina – substância orgânica que dá gosto e cheiro de terra à água.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.