Confronto com a polícia na zona norte do Rio deixa três mortos e dois feridos

Em protesto, grupo incendiou um ônibus; moradores acusaram policiais de chegar atirando a esmo

Clarice Cudischevitch, Especial para O Estado

12 de agosto de 2016 | 21h15

RIO - Três pessoas - duas delas menores - foram mortas pela Polícia em suposto confronto na comunidade Bandeira 2, em Del Castilho, na zona norte do Rio, na noite de quinta-feira, 11. Dois adolescentes de 14 e 15 anos e Ricardo Rodrigues de Araújo, de 22 anos, foram atingidos presumivelmente em troca de tiros com agentes do Batalhão de Choque. Outros dois homens ficaram feridos. O incidente está sob investigação da Polícia Civil.

Os tiros, mortes e ferimentos causaram protesto e tumulto. Um grupo incendiou um ônibus da linha 679 (Grotão x Méier) na Avenida Dom Hélder Câmara, em Del Castilho. A 44ª Delegacia de Polícia (Inhaúma) instaurou procedimento e está apurando as circunstâncias. Moradores acusaram os policiais de chegar atirando a esmo. Na manifestação, o corpo de um dos adolescentes foi levado para o meio da rua. Muita gente correu para o Shopping Nova América, para se proteger dos tiros. Segundo o delegado Roberto Ramos, diligências estão em andamento para esclarecer o incidente.

A Polícia Militar informou que uma equipe do Batalhão de Choque estava em patrulhamento na Avenida Dom Hélder Câmara, quando recebeu uma denúncia de crime em andamento perto da comunidade do Bandeira 2, em Del Castilho. Com a chegada dos policiais militares, segundo a PM, criminosos atiraram contra os policiais e as pessoas que estavam no local. 

Dois homens, apontados pela polícia como suspeitos e identificados como Frederico Alves e Victor de Quintão de Souza Sampaio, ficaram feridos no confronto. Alves levou um tiro no tórax e foi levado para o Hospital Salgado Filho, no Méier, também na zona norte. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, ele passou por cirurgia e, até a noite de sexta-feira, seu estado de saúde era grave e ele respirava por aparelhos.

Já Sampaio teria ido para o Hospital Federal do Andaraí, na zona norte. O Estado não conseguiu contato com o Ministério da Saúde para saber informações sobre seu estado de saúde. 

Segundo a PM, um dos suspeitos estava com uma pistola, uma granada, munições, um carregador, 392 pinos de cocaína, 556 trouxinhas de maconha e 95 trouxinhas de haxixe. Já a Delegacia de Homicídios da Capital informou que está investigando as três mortes.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.