Confronto deixa 6 supostos criminosos e dois PMs mortos no Rio

Na sexta, três supostos traficantes de drogas foram executados por integrantes da própria quadrilha

Pedro Dantas, de O Estado de S.Paulo

19 de abril de 2008 | 12h27

Seis supostos criminosos e dois policiais militares morreram em uma noite violenta no Rio. De acordo com a polícia, o soldado do 16 º Batalhão de Polícia Militar, Marcos de Oliveira Mendonça, morreu na noite de sexta-feira, após ser encontrado ferido com um tiro no peito dentro de um Astra prata na Rua Ana Maria Estrela, em Bangu, Zona Oeste da cidade. No bairro de Olaria, na Zona Norte, o cabo da PM que atuava no Detran-RJ, José Craveiro dos Santos morreu ao reagir a um assalto.  De acordo com o governo estadual, o cabo estaria cotado para integrar a escola do secretário de Segurança Pública, José Mariano Beltrame. Com as mortes, sobem para três os PMs mortos desde a madrugada de sexta-feira quando o o cabo Cléber do Amparo, de 39 anos, do Batalhão de Operações Especiais (Bope), morreu ao reagir a uma tentativa de assalto na Praia de Charitas,em Niterói (Região Metropolitana), por volta das 2h. Ele matou um dos criminosos, mas foi baleado. O outro bandido fugiu. Na noite de sexta-feira, em São Gonçalo (Região Metropolitana), três supostos traficantes de drogas foram executados por integrantes da própria quadrilha, segundo a polícia. No bairro Brás de Pina, na Zona Norte, dois homens ainda não identificados em um carro morreram após trocar tiros com PMs. De acordo com a PM, eles perderam o controle do veículo e caíram em um canal. A dupla foi socorrida, mas morreu ao dar entrada no Hospital Getúlio Vargas. Em Realengo, na Zona Oeste, Giovani Felizardo Rocha, de 20 anos, morreu em tiroteio com PMs. Ele estaria com uma pistola calibre 765 e também reagiu a abordagem.

Mais conteúdo sobre:
ConfrontomorteRio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.