Confronto entre facções e operação do Bope termina com 2 mortos

Cinco pessoas ficaram feridas em confrontos em quatro favelas da zona norte; mais de 13 mil alunos ficaram sem aulas

Thaise Constancio, O Estado de S. Paulo

01 Outubro 2014 | 10h56

Atualizada às 23h

RIO - Dois homens morreram e cinco pessoas ficaram feridas em confrontos em quatro favelas na zona norte do Rio desde a noite de anteontem. O Complexo da Maré está em processo de pacificação, com a presença do Exército, da Marinha e da Polícia Militar. Os Complexos do Alemão e da Penha e o Morro da Mangueira têm Unidades de Polícia Pacificadora (UPP). Ontem à noite, houve conflito sem vítimas em Niterói.

Segundo a polícia, bandidos incendiaram um ônibus e fizeram barricadas para interditar um túnel que liga Icaraí ao bairro de São Francisco, em Niterói. Com medo, os motoristas deixaram a via de marcha à ré. Os bandidos ordenaram que o comércio fosse fechado e a ação dos criminosos seria uma retaliação de traficantes que atuam no Morro do Cavalão a uma operação realizada anteontem, quando dois suspeitos foram mortos e outros dois, presos.

Na Maré, um jovem ainda não identificado, de aproximadamente 18 anos, morreu após troca de tiros entre traficantes do Terceiro Comando Puro (TCP) e da Amigos dos Amigos (ADA), por volta das 23 horas de anteontem, no Conjunto Esperança. Militares fizeram incursões no conjunto de favelas.

Ontem, houve pelo menos três confrontos na Maré. A Avenida Brasil, importante via expressa, foi fechada pelo menos duas vezes por militares, até mesmo com tanques nas pistas. Por causa dos tiroteios, motoristas fugiram na contramão.

Segundo militares das forças de pacificação ouvidos pelo Estado, no início da manhã, um grupo com cerca de 15 traficantes da ADA conseguiu fugir do cerco policial no Conjunto Esperança e atravessar de barco um valão perto da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), na direção do Parque Alegria, no Complexo do Caju. Os bandidos conseguiram fugir após troca de tiros com homens da Marinha.

No dia 20 do mês passado, bandidos da ADA fortemente armados saíram do Parque Alegria, que tem UPP, em uma tentativa de invadir favelas controladas pelo TCP. Na ocasião, seis tanques dos fuzileiros navais precisaram ser usados para reforçar o policiamento.

No Complexo da Penha, um homem morreu com um tiro no peito durante operação do Batalhão de Operações Especiais (Bope) na Favela Parque Proletário, anteontem à noite. Outros dois ficaram feridos e foram atendidos no Hospital Getúlio Vargas, na Penha. Foram apreendidos explosivo, uma pistola 9 milímetros com carregador e munições.

A Coordenadoria de Polícia Pacificadora informou que, depois do confronto, moradores da Vila Cruzeiro e do Parque Proletário atearam fogo em lixo, arremessaram objetos na direção dos policiais e foram contidos pelo Batalhão de Choque.

Mangueira. No Morro da Mangueira, três pessoas ficaram feridas anteontem durante tiroteio entre o Comando Vermelho (CV), que comanda o tráfico de drogas, e a ADA, que tenta assumir o controle.

Após o tiroteio, um homem baleado de raspão na barriga, uma mulher com ferimento na mão e uma criança atingida na perna foram encontrados por policiais na localidade conhecida como São Sebastião.

Desde a morte do ex-traficante do CV Francisco Paulo Tostes Monteiro, o Tuchinha, no dia 3 do mês passado, o policiamento segue reforçado. Quatro dias depois, moradores confirmaram que bandidos da ADA invadiram o morro. No Complexo do Alemão, pela manhã, houve troca de tiros entre traficantes e policiais da UPP Nova Brasília. Ninguém ficou ferido.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.