FABIO MOTTA/ESTADÃO
FABIO MOTTA/ESTADÃO

Corpo do sargento Carlos Eduardo Gomes Cardoso é velado neste domingo no Rio

Policial morreu após uma operação na comunidade Bateau Mouche no sábado; morte evidencia que violência contra policiais fluminenses aumenta consideravelmente no Estado do Rio de Janeiro

Renata Okumura, O Estado de S.Paulo

29 Abril 2018 | 08h16

SÃO PAULO - A Polícia Militar do Rio de Janeiro informa que o corpo do sargento Carlos Eduardo Gomes Cardoso, de 36 anos, morto durante uma operação na manhã de sábado, 28, na comunidade Bateau Mouche, em Jacarepaguá, será velado neste domingo, 29, no Cemitério Jardim da Saudade.

O sargento estava entre os integrantes de uma equipe de apoio ao 18º Batalhão da Polícia Militar de Jacarepaguá. Durante confronto com criminosos na favela, o policial foi atingido no peito e no braço. Ele foi encaminhado para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, mas não resistiu aos ferimentos.

Segundo o Comando da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro, ele era casado e deixa 2 filhos. Cardoso era lotado no 41º BPM, no Irajá, e estava há 12 anos na corporação.  De acordo com o Disque Denúncia, além dos 40 policiais militares, já morreram este ano dois policiais civis e um agente penitenciário.

+++ Uso do Exército para combater o crime nos Estados cresce pelo menos 3 vezes

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.