AFP
AFP

Criança é atingida por bala perdida em tiroteio no Alemão

Segundo o comando da UPP do Alemão, policiais foram recebidos a tiros por criminosos armados na localidade conhecida como Areal

Danielle Villela, O Estado de S. Paulo

29 de junho de 2015 | 16h09

RIO - Uma criança de apenas 3 anos foi atingida por uma bala perdida em mais uma troca de tiros no Complexo do Alemão, na zona norte do Rio, nesta segunda-feira, 29. Segundo informações da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), o menino levou um tiro na perna esquerda e, após receber os primeiros socorros em uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA), foi transferido para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, também na zona norte. O quadro de saúde da criança é estável, mas não há previsão de alta, de acordo com a SMS. 

A Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP), no entanto, não tinha informações sobre feridos durante as duas trocas de tiros registradas no Complexo do Alemão nesta segunda. De acordo com o comando da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Alemão, policiais foram recebidos a tiros por volta das 8h30 por criminosos armados na localidade conhecida como Areal. Um novo confronto foi registrado na região por volta das 10h. 

Nas redes sociais, muitos moradores publicaram mensagens falando sobre tiroteios no Complexo do Alemão nos últimos dias. 

Ainda de acordo com o CPP, buscas estão sendo realizadas ao longo desta segunda-feira na tentativa de localizar os responsáveis pelos disparos.

Teleférico. Por conta do tiroteio, a circulação do teleférico do Complexo do Alemão foi interrompida por cerca de dez minutos, por volta das 10h30. A partir desta segunda, o sistema terá seu horário de funcionamento ampliado, passando a operar de segunda a sexta-feira, das 6h às 20h, e aos sábados das 8h às 18h. O teleférico não funcionará aos domingos e feriados. 

Antes, o sistema operava das 8h às 20h durante a semana e das 10h às 18h aos sábados. 

Morro da Coroa. No domingo, um entregador de pizza de 23 anos morreu baleado durante um confronto entre policiais militares do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) e traficantes no Morro da Coroa, em Santa Teresa, na região central do Rio de Janeiro.

Amigos de Rafael Camilo Neris lamentam sua morte em postagens da rede Facebook e ressaltam que o jovem era "trabalhador" e teria morrido quando entregava uma pizza na comunidade. Ele chegou a ser levado para o Hospital Municipal Souza Aguiar, no centro, mas não resistiu.

Tudo o que sabemos sobre:
Complexo do AlemãoRio de Janeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.