Criança e jovem morrem baleados em operação policial no Rio

Moradores da região acusam policiais pelos disparos; menino de 12 anos e homem de 22 estavam perto de padaria no morro do Dendê

Fábio Grellet, O Estado de S. Paulo

19 Maio 2015 | 19h26

RIO - Uma criança de 12 anos e um jovem de 22 morreram baleados durante uma operação da Polícia Civil do Rio no morro do Dendê, na Ilha do Governador (zona norte do Rio), na manhã desta terça-feira, 19. Moradores que acusam os policiais de ter disparado contra as duas vítimas fizeram um protesto logo após as mortes. A Estrada da Cacuia chegou a ser interditada.

O estudante Gilson Costa, de 12 anos, cursava o 6º ano do ensino fundamental na Escola Municipal Dunshee Abranches, na Ilha. Ele estava a caminho de uma padaria quando foi baleado. O carregador Wanderson Jesus Martins, de 22, seguia para o mesmo estabelecimento e estava perto de Gilson. Testemunhas contaram que, quando ouviram tiros, os dois tentaram correr, mas foram atingidos. A Divisão de Homicídios da capital instaurou inquérito para investigar o caso.

A operação, da qual participaram 400 policiais civis, foi desencadeada pela Corregedoria Interna da Polícia Civil para cumprir mandados de busca e apreensão nas favelas do Dendê, Barbante, Bancários e Boogie Woogie. Foram apreendidas 169 máquinas caça-níqueis e 500 papelotes de maconha. Vinte pessoas responsáveis pelos estabelecimentos onde estavam os caça-níqueis foram levadas à delegacia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.