Fábio Motta/Estadão
Fábio Motta/Estadão

Criminosos fazem arrastão em ônibus na Linha Vermelha, no Rio

30 passageiros foram rendidos e feitos reféns por dois criminosos armados na linha 485; via expressa está com policiamento reforçado para a Olimpíada

Clarice Cudischevitch, Especial para o Estado

04 de agosto de 2016 | 10h53

RIO - Cerca de 30 passageiros foram rendidos por dois criminosos em um ônibus da linha 485 (Fundão-Siqueira Campos) na tarde de quarta-feira, 4, no Rio de Janeiro. O ônibus havia passado pela Ilha do Fundão, na zona norte, onde fica o câmpus principal da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), quando os bandidos anunciaram o assalto na Linha Vermelha, que está com policiamento reforçado para a Olimpíada, na altura de São Cristóvão. 

Os assaltantes obrigaram o motorista a mudar o itinerário e seguir pelo Viaduto Paulo de Frontin e pelo Túnel Rebouças, que liga as zonas norte e sul. Após recolherem os pertences das vítimas, eles desembarcaram na Lagoa, na altura da Praça Marcos Tamoyo. 

A Polícia Civil informou que a 14ª Delegacia de Polícia (Leblon) instaurou procedimento para apurar o ocorrido e que as investigações terão prosseguimento na 17ª DP (São Cristóvão). Os autores do crime ainda não foram identificados. 

Uma das vítimas, que não quis se identificar, informou à TV Globo por telefone que um rapaz que estava no fundo do ônibus levantou, pulou a roleta e falou com outro que estava sentado na escada. Em seguida, anunciaram o assalto e pediram para que as pessoas ficassem calmas, entregassem os pertences e não reagissem. Eles estavam armados. Enquanto um rendia o motorista, o outro colocava os objetos roubados em uma sacola. "A gente passou por algumas viaturas policiais, mas não adiantou de nada, o motorista seguiu." 

Oitenta e cinco mil agentes foram empregados para reforçar o esquema de segurança no Rio de Janeiro durante a Olimpíada - 47 mil das forças de segurança pública, entre guardas municipais, policiais federais, civis e militares e da Força Nacional de Segurança; e 38 mil do Exército, Marinha e Aeronáutica.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.