Cristo Redentor tem missa e protesto contra violência no Rio

Nos úlitmos dias, a cidade foi palco para ações violentas, como o assalto ao médico Lídio Toledo Filho

04 de janeiro de 2008 | 16h27

O bispo auxiliar do Rio, dom Assis Lopes, rezou missa no Corcovado, às 12 horas desta sexta-feira, 4, numa cerimônia que a Arquidiocese considera "um momento de fé contra a violência que vem acontecendo no Rio, principalmente no final de 2007".   O bispo rezou a oração Ângelus, que é uma saudação a Nossa Senhora e dura cerca de 15 minutos. Depois de rezada a missa em português, inglês e francês, os fiéis puderam levar para casa um vidro com água benta. Segundo o bispo, a arquidiocese quer passar uma mensagem de paz para a cidade e pede a todos os moradores que, por um instante, se voltem ao Cristo Redentor para pedir paz e segurança para a cidade.   Nos últimos dias, o Rio de Janeiro foi palco para diversas ações violentas, como a tentativa de assalto ao médico Lídio Toledo Filho, que acabou baleado na noite do dia 31 de dezembro, no Alto da Boa Vista. O ortopedista, que é filho do ex-médico da Seleção Brasileira, Lídio Toledo, continua internado em estado grave e deve ficar paralítico, por causa do ferimento.   O show de pirotécnica que é a virada do ano na praia de Copacabana também se transformou em cenário de violência. Aos menos seis pessoas foram feridas por balas perdidas durante a queima de fogos na praia. A polícia investiga a origem dos tiros. Mas, tanto peritos quanto a delegada responsável pela investigação de quatro dos seis casos acreditam que os tiros foram disparados de armas diferentes, em diferentes pontos da praia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.