Crivella mantém silêncio, mas vice diz que valor do ônibus pode baixar

O valor atual da tarifa no Rio é de R$ 3,80

Marcio Dolzan, O Estado de S.Paulo

29 Dezembro 2016 | 03h00

RIO - O prefeito eleito Marcelo Crivella (PRB) reuniu-se na quarta (28) com o prefeito Eduardo Paes (PMDB) para discutir o reajuste da tarifa dos ônibus municipais. Foi a segunda reunião entre ambos desde a eleição de Crivella, e por enquanto não houve consenso entre os dois sobre o preço da passagem nos coletivos. O valor atual da tarifa de ônibus no Rio é de R$ 3,80.

Paes defende o aumento, mas não quer decretar o reajuste antes de ter certeza de que Crivella não vai suspendê-lo logo que assumir o cargo. Nenhum dos dois quis falar com a imprensa após a reunião. Crivella evita abordar a questão do reajuste das passagens. O preço foi aumentado em janeiro deste ano e o contrato de concessão dos ônibus urbanos prevê reajustes anuais – mas nem tudo o que foi acordado tem sido cumprido.

Em 2012, a prefeitura assinou um acordo com Ministério Público que previa que 100% da frota de ônibus da capital teria ar condicionado até este mês, meta que está muito longe de ser atingida. O prefeito Paes assinou decreto em 2015 alterando a meta, mas a decisão foi derrubada sete vezes na Justiça – na última, no início do mês, a 2.ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio estabeleceu multa de R$ 20 mil para cada ônibus que circular sem climatização.

Ontem, o prefeito eleito se esquivou ao ser questionado se pretende elevar o preço da passagem mesmo sem ter todos os ônibus climatizados, como previa o acordo. “Isso você tem de perguntar ao prefeito (Paes), que é uma missão dele. Segunda-feira (quando já tiver assumido o cargo) eu respondo essa pergunta”, declarou Crivella. 

No discurso que se seguiu à vitória no segundo turno da eleição, Marcelo Crivella declarou que o carioca “não será mais garfado nas tarifas de ônibus”. Durante a campanha, ele criticou empresários que detêm as concessões e afirmou que não reajustaria as tarifas “por pressão”.

O vice de Crivella, Fernando MacDowell, que será secretário de Transportes, chegou a afirmar durante a campanha eleitoral em entrevista ao portal Uol que seria possível reduzir o preço da passagem em até 20% com uma “reengenharia financeira”. O [BOLD]Estado[/BOLD] não localizou MacDowell./ COLABOROU FÁBIO GRELLET

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.