Procurados/Polícia Civil
Procurados/Polícia Civil

'Dani Bumbum' se entrega à polícia após morte de microempresária

Danielle Cândido Cardoso é acusada de ser a responsável pelo procedimento estético nos glúteos de Fernanda de Assis

Fábio Grellet, O Estado de S.Paulo

16 de outubro de 2018 | 23h18

RIO - Acusada pela polícia de ser a responsável pelo procedimento estético que causou a morte da microempresária Fernanda de Assis, de 29 anos, em 13 de outubro, Danielle Cândido Cardoso, de 37, entregou-se à Polícia Civil do Rio de Janeiro na tarde desta terça-feira, 16, um dia após a Justiça decretar sua prisão temporária. Danielle, conhecida como "Dani Bumbum" ou "Dani Sereia", vai responder por homicídio e exercício ilegal da medicina. Ela mora em Mesquita, na Baixada Fluminense, e se entregou à 31ª Delegacia de Polícia (Ricardo de Albuquerque).

Fernanda submeteu-se a um preenchimento de glúteos no dia 4. Segundo familiares contaram à polícia, dois dias após a intervenção surgiram bolhas nas nádegas dela. Uma semana depois surgiram edemas na boca da paciente, que chegaram a impedi-la de falar. 

A microempresária morreu nove dias após a cirurgia, no último sábado, 13, vítima de uma parada cardiorrespiratória. Seu corpo foi enterrado nesta terça-feira, 16, em Ricardo de Albuquerque, bairro onde ela morava.

Na decisão em que decretou a prisão temporária da suspeita, a juíza Livia Bechara de Castro destacou que testemunhas reconheceram Danielle como a responsável pela intervenção estética. Além da prisão, a magistrada autorizou busca e apreensão na casa e no local de trabalho da mulher para evitar a destruição de provas.

Segundo a Polícia Civil, Dani Bumbum já foi indiciada uma vez, em 2015, por posse de substâncias injetáveis proibidas. O caso foi investigado pela 64ª DP (São João de Meriti).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.