Fabio Motta/Estadão
Fabio Motta/Estadão

Defesa Civil do Rio interdita 51 imóveis após temporal na cidade

Estado de atenção permanece e moradores fizeram protestos por falta de energia elétrica em alguns bairros

Ludimila Honorato, O Estado de S.Paulo

16 Fevereiro 2018 | 03h48

SÃO PAULO - A Defesa Civil do Rio de Janeiro interditou 51 imóveis após as fortes chuvas que atingem a cidade desde quarta-feira, 14, informou o órgão nesta quinta-feira, 15. Dos locais interditados, 41 estão no Complexo do Alemão e 10, em Cascadura.

Entre as 22 horas de quarta e as 16h50 de quinta, a Defesa Civil recebeu 631 chamados para realizar vistorias em edificações. Até o fim da tarde de quinta, 182 ocorrências emergenciais tinham sido atendidas.

O estado de atenção no município permanece deste desde 1h20 de quarta-feira. Segundo o Alerta Rio, há previsão de chuva fraca a moderada isolada durante a madrugada desta sexta-feira e de pancadas de chuva isoladas nos períodos da tarde e noite.

Em decorrência das chuvas, pelo menos quatro pessoas morreram e parte da Ciclovia Tim Maia, em São Conrado, desabou. Segundo a prefeitura do Rio, a cidade teve recorde de chuva de 18 anos.

Segundo o Centro de Operações do Rio, equipes da prefeitura trabalham em 112 ocorrências registradas devido às chuvas, que estão concentradas nas zonas norte e oeste da cidade. Houve quedas de postes, muros, árvores, acúmulo de água nas vias e deslizamentos.

+ 'Podre, tem que fazer tudo outra vez', diz vice-prefeito sobre ciclovia

Além do afundamento parcial da Ciclovia Tim Maia, houve também da Linha Amarela, Saída 4, em Abolição e na Rua dos Artistas, altura do número 129, na Vila Isabel. O Centro ainda registrou alagamentos na Avenida Engenheiro Souza Filho, em Itanhangá, e em Magarça.

Manifestações. Na noite desta quinta-feira, moradores interditaram a Avenida Ayrton Senna, na altura da Cidade de Deus, em protesto pela falta de energia elétrica em alguns bairros da cidade. Segundo o Centro de Operações do Rio, o trânsito foi fechado no sentido Linha Amarela e parcialmente fechado no sentido Recreio.

+ Hospital fica sem luz e alaga com temporal no Rio

O Centro ainda registrou manifestações na Estrada dos Bandeirantes, no BRT Arroio-Pavuna, na Estrada do Guerenguê, na Rua Marechal Rondon e na Rua Dois de Fevereiro. Todos os protestos foram encerrados e as vias liberadas por volta das 3h20 desta sexta-feira.

Nas redes sociais, moradores falavam em mais de 25 horas sem luz em Vargem Grande, Jacarepaguá, Taquará, Penha, Bonsucesso, Ilha do Governador e Camará.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.