Estadão
Estadão

Delegado afastado de caso de estupro deixa unidade de informática

Alessandro Thiers era lotado na Delegacia de Repressão a Crimes de Informática; informação foi divulgada pelo jornal 'Extra'

Fábio Grellet, O Estado de S.Paulo

07 de junho de 2016 | 23h54

RIO - Nove dias após ser afastado da investigação sobre o estupro coletivo de uma adolescente de 16 anos, o delegado Alessandro Thiers deixou a  Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI) da Polícia Civil do Rio. A informação é do jornal “Extra”, segundo o qual a dispensa foi publicada em boletim interno da Polícia Civil na noite desta terça-feira, 7.

Segundo a reportagem, a saída de Thiers seria uma iniciativa dele e não uma ordem superior. Consultada pela reportagem, a Polícia Civil do Rio não havia se manifestado até as 23h20 desta terça-feira.

Em 29 de maio, o delegado deixou de comandar o inquérito sobre o estupro coletivo. Ele foi acusado de constranger a vítima durante depoimento e de manter uma postura inadequada ao episódio. Nessa investigação, Thiers foi substituído pela delegada Cristiana Bento, da Delegacia da Criança e do Adolescente Vítima (DCAV).

Segundo o “Extra”, a delegada Daniela Terra, que atuava na 33ª DP (Realengo), assumiu a vaga aberta na DRCI. Ainda não foi definida a unidade em que Thiers passará a trabalhar.

Tudo o que sabemos sobre:
Polícia Civil

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.