Delegado leva quatro tiros na porta de seu prédio no Rio

Um veículo de placa não anotada passou disparando contra Alexandre Neto, que está sendo operado

Clarissa Thomé, do Estadão,

02 Setembro 2007 | 15h24

O delegado Alexandre Neto, lotado na Divisão anti-seqüestro (DAS), foi vítima de um atentado no início da tarde deste domingo, 2, no Rio. Ele estava na porta do prédio em que mora, na Rua Constante Ramos, em Copacabana, na zona sul, quando um veículo de placa não anotada passou em frente ao edifício e um dos ocupantes disparou contra o policial.   Delegado baleado no Rio investigava caso Priscila Belfort   De acordo com as informações iniciais, ele teria sido atingido por pelo menos quatro tiros. O delegado foi levado para o Hospital Copa D'Or, em Copacabana, onde está sendo operado.   No ano passado, um dossiê a respeito de um grupo de policiais ligados ao ex-chefe de Polícia Civil Álvaro Lins foi atribuído a Neto.   Em outubro, ele foi citado pela deputada federal Marina Maggessi numa conversa telefônica com um dos inspetores investigados.   Ela sugeria que o policial desse "um monte de tiros" em Neto.   Na ocasião, Marina desculpou-se e disse que se tratava apenas de força de expressão.

Mais conteúdo sobre:
Rio DAS

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.