Dengue pode ter feito mais uma vítima no Rio de Janeiro

Se confirmada por exames, morte de Samuel da Conceição, de 10 anos, será a 20ª do Rio em 2008

Adriana Chiarini, do Estado de S. Paulo,

02 de março de 2008 | 17h23

O menino Samuel da Conceição, de dez anos, morreu no sábado, 1, com suspeita da doença no Hospital Municipal Infantil Abílio de Carvalho, em São João do Meriti, na Baixada Fluminense. Se a suspeita no caso de Samuel for confirmada por exames, o número de mortes devido à doença no Estado do Rio este ano chegará a 20. Entre os 19 óbitos por dengue registrados em 2008 até a quarta-feira passada pela Secretaria de Saúde estadual, dez foram do tipo hemorrágico, e um ocorreu no mesmo município em que o menino morreu.  A cidade do Rio de Janeiro é a campeã das mortes por dengue nos primeiros dois meses do ano, com 14 dos 19 casos. Outros três foram na Baixada Fluminense (dois em Duque de Caxias e um em São João de Meriti); um em Miguel Pereira, na região centro-sul fluminense; e um em Campos de Goytacazes, no norte do Estado. O registro da Secretaria de Saúde traz a observação de "caso importado", mostrando que a doença foi adquirida em outro local.  Este ano até a quarta-feira, 27, já tinham sido notificados 13.324 casos de dengue no Estado do Rio, de acordo com dados de relatório da Secretaria Estadual de Saúde ainda sujeitos à revisão. Foi o maior número para o primeiro bimestre desde 2002, quando o número de casos chegou a 142.218.  Daí até 2005 o número se reduziu até chegar a 614 casos nos dois primeiros meses e 2580 de janeiro a dezembro. A partir de 2006, porém, a os números só cresceram. No ano passado, houve 66.553 notificações da doença sendo 9.490 no primeiro bimestre, segundo dados também sujeitos à revisão e do mesmo relatório. Em 2008, já em janeiro, o número de 9.824 casos notificados superou o total do primeiro bimestre de 2007.

Tudo o que sabemos sobre:
Denguevítima

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.