Reprodução
Reprodução

Dentista acusado de matar ex-namorada grávida é transferido para presídio

Delegada acredita que o crime foi motivado pela recusa do homem em aceitar o nascimento do bebê

Lucas Gayoso, Especial para O Estado

26 de junho de 2017 | 16h07

RIO - O dentista Thiago Medeiros, de 33 anos, acusado de matar a ex-namorada, a empresária Nathalie Rios Motta Salles, de 37 anos, foi transferido para uma unidade prisional no Complexo de Gericinó, na zona oeste do Rio, nesta segunda-feira, 26. Ele está detido desde o domingo, apontado por policiais da Delegacia de Descoberta de Paradeiros (DDPA) como principal suspeito do homicídio.

A Polícia Civil investiga o caso desde o dia 22, quando a empresária, que estava grávida de três meses, desapareceu. O mandado de prisão foi expedido após a polícia encontrar um corpo carbonizado dentro de uma pilha de pneus, em Vassouras, no Sul Fluminense, cidade onde a família de Medeiros mora. Embora o cadáver tenha ficado irreconhecível e os dentes tenham sido arrancados, os brincos e partes da roupa estavam intactos e foram reconhecidos por familiares de Nathalie como sendo dela.

Em depoimento, Thiago negou a autoria do crime. Ele disse que deu uma carona para ela até o Aterro do Flamengo, deixando-a próximo de casa. Depois, seguiu para Vassouras, onde tem consultório. No entanto, câmeras mostram somente o momento em que ela entra no carro.

A delegada Elen Souto, titular da DDPA, informou ainda que investiga a informação de que, dias antes do crime, Medeiros havia forçado Nathalie a tomar substância abortiva. A delegada indiciou o dentista por homicídio duplamente qualificado e ocultação de cadáver. "Nada justifica um crime bárbaro como esse. Principalmente quando existe uma relação de quase uma década de confiança, amizade. Ele mata não só uma amiga, ex-namorada, mas também o filho", afirmou a delegada.

Elen pediu exame de DNA ao Instituto de Pesquisa e Genética Forense, laboratório da Polícia Civil, para identificar se o corpo carbonizado encontrado em Vassouras é o da empresária. O laudo com a confirmação da identidade do corpo deverá ficar pronto em 15 dias.

Namoro. Medeiros e Nathalie se conheceram em 2008, quando ambos trabalhavam no Hospital Central da Aeronáutica, e começaram a namorar. Romperam o relacionamento em 2011, mas continuaram a ter encontros eventuais. Nathalie engravidou há três meses e Medeiros seria o pai.

Atualmente noivo de uma médica, o dentista teria tentado, sem sucesso, convencê-la a abortar. Na última quinta-feira, Nathalie saiu de uma de suas farmácias, na Tijuca, por volta de 16h30, e foi de metrô da estação Saens Peña até o Flamengo onde encontrou o ex-namorado.

A delegada Elen Souto acredita que o crime foi motivado pela recusa de Medeiros em aceitar o nascimento do bebê. "Ele queria que ela abortasse, porque estava noivo de outra mulher. Mas Nathalie queria ter o filho", disse.

Nas redes sociais, a mãe de Nathalie, Lucia Rios Motta, postou sua tristeza: “Metade de mim morreu”, escreveu.

Mais conteúdo sobre:
Polícia CivilRio de Janeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.