DIVULGAÇÃO/SOLIDARIEDADE
DIVULGAÇÃO/SOLIDARIEDADE

Deputado federal é vítima de sequestro relâmpago no Rio

Quatro homens armados renderam o parlamentar e um amigo; crime ocorreu no município de Duque de Caxias

Antônio Pita, O Estado de S. Paulo

10 Abril 2016 | 12h00

RIO - O deputado federal Áureo Lidio Moreira Ribeiro (Solidariedade) foi vítima de um sequestro relâmpago na noite desse sábado, 9,  no município de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Segundo o parlamentar, seu carro foi interceptado por outro veículo, com quatro homens armados.

O deputado e um amigo, Fabrício Nunes, foram rendidos por volta das 19h20 e liberados pouco depois, no Rio de Janeiro.Os assaltantes levaram o veículo Jeep branco, além de pertences do deputado e de seu amigo, que dirigia o veículo na hora do sequestro. Ambas as vítimas tiveram os rostos cobertos por capuzes e armas apontadas, segundo o parlamentar.

Áureo contou ainda que os criminosos descobriram que ele era parlamentar ao encontrar sua identificação. O caso está sendo investigado pela 59ª Distrito Policial, em Duque de Caxias, onde o parlamentar tem sua base política.Em sua página no Facebook, Áureo agradeceu ao apoio de eleitores e relatou o ocorrido. "A alegria de estar vivo não afasta o sentimento de indignação pelo susto que vivi. Fui assaltado enquanto trabalhava em meu município. Meu amigo Fabrício Nunes e eu ficamos reféns de quatro elementos armados que cobriram as nossas cabeças e nos conduziram a força, sob ameaça de armas", escreveu o parlamentar.

O deputado é empresário, tem 37 anos, é casado e tem dois filhos. Ele está em seu segundo mandato na Câmara. Áureo é ligado à Igreja Metodista e atua na bancada evangélica, na Frente Parlamentar em Defesa da Vida, Contra a Legalização do Aborto.

"Um filme passou pela minha cabeça. Não podemos viver assim: precisamos de segurança, de policiamento. Mais uma vez, vou me pronunciar cobrando aos governos estadual e municipal que cumpram o seu papel e garantam ao povo o direito constitucional de ir e vir", completou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.