Desabamento de casa soterra e mata três crianças no Rio

Meninos brincavam quando um deslizamento de terra derrubou um muro sobre a casa próxima de onde estavam

Talita Figueiredo, especial para o Estadão,

26 Outubro 2007 | 12h52

Apesar de a chuva ter dado uma trégua nesta sexta-feira, 26, no Rio, três crianças morreram vítimas do desabamento de uma casa que não resistiu ao deslizamento de terra e de um muro na favela Nova Brasília, no complexo do Alemão, na zona norte da capital. Desde a noite de terça-feira, quando o temporal começou, seis pessoas já morreram no Estado. A prefeitura de Belford Roxo (Baixada Fluminense), onde 800 pessoas ficaram desalojadas e quase 400 desabrigadas, decretou situação de emergência.   B. C. S., de 2 anos, E. F. F. e V. H. F., ambos de 3 anos, brincavam sob vigilância do irmão de um deles, de 14 anos, próximo à uma casa no alto da favela. Por volta das 10h30, houve um deslizamento de terra que derrubou um muro e caiu sobre a casa, soterrando as três crianças. Felipe sofreu apenas escoriações e foi levado para o Hospital Geral de Bonsucesso.   Uma equipe do Estadão esteve no complexo do Alemão na tentativa de registrar a tragédia, mas foi impedida por traficantes armados com fuzis e pistolas. Quatro homens com fuzis e outros quatro com pistolas,posicionados a cerca de 100 metros de uma esquina onde estavam policiais da Força Nacional, apontaram as armas para diversas equipes de reportagem e mandaram que todos voltassem. Eles não deixaram nem que os carros fossem manobrados, sendo todos obrigados a sair da favela de marcha a ré. A Força Nacional mantém ocupação permanente do complexo do Alemão, de 15 de junho.   Estrago   Na Baixada Fluminense, vários municípios ainda contabilizavam nesta sexta o estrago deixado pelas chuvas. Em Belford Roxo o mais atingido, o coordenador da Defesa Civil, capitão Alex Alves, disse que a decretação de situação de emergência é uma forma de comunicar à sociedade e a todos os órgãos públicos que o município está em dificuldades.   De acordo com o capitão, a tendência é que os desalojados comecem a voltar para casa aos poucos, com o fim das chuvas. "Estamos fazendo a triagem nos abrigos para verificarmos quem já pode retornar", disse.   A chuva no entanto deverá voltar a cair sobre o Estado, de acordo com o Instituto de Meteorologia. A previsão para o fim de semana é de tempo parcialmente nublado com pancadas de chuva durante o dia.   Matéria ampliada às 19h34

Mais conteúdo sobre:
desabamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.