WILTON JUNIOR / ESTADÃO
WILTON JUNIOR / ESTADÃO

Desfiles de carnaval do Rio dependem de vacina até setembro, diz Liga das Escolas de Samba

Liesa também não prevê adiar o evento, que depende de centenas de pessoas e calendário bem definido; decisão será tomada em reunião em setembro

Marcio Dolzan, O Estado de S.Paulo

15 de julho de 2020 | 09h29

A realização dos desfiles das escolas de samba do Carnaval carioca do próximo ano segue indefinida. Em reunião realizada na noite dessa terça-feira, 14, a Liga das Escolas de Samba (Liesa) confirmou a intenção de só realizar os desfiles caso uma vacina contra o coronavírus seja apresentada nos próximos meses. Nem mesmo um eventual adiamento está previsto.

De acordo a Liesa, uma definição precisará ser tomada até setembro. Caso uma vacina não seja apresentada até lá, a tendência é de que o desfile não aconteça no próximo ano.

O mês de setembro é considerado crucial para que as escolas tenham tempo hábil de se preparar, e até mesmo para que a própria Liesa comece a organizar a venda de ingressos e a preparação para os desfiles.

Caso uma vacina não seja anunciada até setembro, até mesmo um adiamento do carnaval pode ser descartado. Isso porque a preparação do evento movimenta centenas de pessoas nas escolas, o que as obriga a programar custos e oferecer condições adequadas de trabalho. Outro empecilho está no fato de se tratar de um evento de interesse internacional, e um calendário bem definido é visto como crucial para o sucesso dos desfiles.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.