WILTON JUNIOR / ESTADÃO
WILTON JUNIOR / ESTADÃO

Dezoito pacientes retirados do Hospital Badim após incêndio recebem alta

Segundo diretor médico da unidade que pegou fogo, outros 59 pacientes seguem internados

Marcio Dolzan e Mariana Durão, O Estado de S.Paulo

14 de setembro de 2019 | 17h01

RIO – Dezoito dos 77 pacientes que foram retirados do Hospital Badim – que pegou fogo na noite de quinta-feira, 12, provocando a morte de 11 idosos – e transferidos para outros hospitais do Rio receberam alta. A informação é do diretor médico do Badim, que divulgou nota na tarde deste sábado, 14.

“Temos um total de 59 pacientes internados e 18 altas registradas desde o último comunicado. O número de familiares e colaboradores internados segue no mesmo patamar (20)”, diz o texto. “Ressaltamos que nem todos os pacientes internados são vítimas de inalação de fumaça. A maior parte segue internada mantendo o tratamento das patologias que motivaram suas admissões no Hospital Badim. O corpo clínico do nosso hospital continua acompanhando a evolução desses pacientes.”

Ainda segundo a nota, o hospital está colaborando com as investigações. “Todos os documentos e informações solicitados até o momento foram prontamente disponibilizados.” 

Perícia

Peritos e a Polícia Civil deixaram o hospital por volta das 10h30 deste sábado, levando bolsas com material e peças recolhidos no local, após cerca de duas horas de trabalho. A investigação se concentrou no subsolo do prédio, onde está o gerador apontado como foco inicial do incêndio, a partir da análise de câmeras de segurança. 

Uma série de questões sobre o episódio continuam sem resposta. Entre outras coisas, os investigadores terão que descobrir como a fumaça se espalhou pelos andares do prédio, por que motivo o exaustor não jogou essa fumaça para fora, se havia saídas de emergência, rotas de fuga e se o plano de evacuação emergencial foi devidamente executado. 

Ainda não há data certa para o retorno dos peritos ao local com os técnicos. Nesta sexta-feira, 13, o calor e a fumaça excessivos no local estavam dificultando os trabalhos dos agentes, informou a Polícia Civil.

O subsolo também estava alagado pela ação dos bombeiros para apagar o fogo e sem iluminação adequada, o que levou os trabalhos a serem interrompidos e retomados na manhã deste sábado. O prédio do Hospital Badim segue interditado pela Defesa Civil por motivos de segurança, assim como outros imóveis no entorno. 

Pelo menos seis das 11 vítimas fatais do incêndio estão sendo sepultadas neste sábado, no Rio: 

  • Luzia dos Santos Melo, de 88 anos;
  • Virgilio Claudino da Silva, de 66;
  • Irene Freitas, de 83;
  • Darcy da Rocha, de 88;
  • Marlene Menezes Fraga, de 85;
  • Maria Alice Teixeira da Costa, de 75.

De um total de 103 pessoas que estavam internadas no Hospital Badim na noite da tragédia, 77 foram transferidas para outros 12 unidades de saúde da cidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.