FABIO MOTTA/ESTADÃO
FABIO MOTTA/ESTADÃO

Disputado por traficantes, Morro do Juramento tem mais um morto em tiroteio

Comunidade no Rio registrou a 4ª morte desde o início de confrontos, na semana passada; suspeito foi baleado pela polícia

Daniela Amorim, O Estado de S.Paulo

15 Maio 2016 | 14h43

RIO – O Morro do Juramento, em Vicente de Carvalho, na zona norte do Rio, viveu no sábado, 14, mais uma noite de tiroteio. Um suspeito foi morto pela polícia, a quarta vítima fatal desde que teve início uma guerra entre traficantes da região, na semana passada.

Segundo a nota da Polícia Militar, policiais entraram em confronto com bandidos numa das vielas da comunidade. Um dos criminosos teria sido atingido por um tiro e acabou morrendo no local. Os policias que participaram da operação relataram ter encontrado com o suspeito uma pistola, munição e um rádio transmissor. A ocorrência foi registrada na Cidade da Polícia, no Jacaré, zona norte da cidade.

A comunidade já tinha registrado tiroteios nas duas noites anteriores, por ser palco de uma disputa entre facções rivais pelo controle de pontos de vendas de drogas. Os policiais do 41º Batalhão da Polícia Militar, de Irajá, realizam operação na região desde a última quinta-feira, 12, quando uma adolescente de 14 anos morreu durante um confronto entre os bandidos.

A polícia tenta impedir novos enfrentamentos entre as duas quadrilhas de traficantes. Não há previsão de desocupação da área.

Presos. Em Japeri, município da Baixada Fluminense, policiais do 24º Batalhão da Polícia Militar prenderam os traficantes conhecidos como Felipinho e Higuinho, da comunidade do Guandu, durante patrulhamento no bairro de Engenheiro Pedreira.

De acordo com informações da polícia, os agentes encontraram os criminosos na manhã de sábado, graças a denúncias de que estariam escondidos na região conhecida como Ferroviário. Um revólver 38 e munição foram apreendidos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.