Fábio Motta/Estadão
Fábio Motta/Estadão

Dois policiais são feridos na Rocinha 

Um foi atingido de raspão na cabeça e outro no tórax e na mão direita

Constança Rezende, O Estado de S.Paulo

23 Outubro 2017 | 10h52

RIO - Dois policiais militares do Batalhão de Choque foram baleados na manhã desta segunda-feira, 23, durante um tiroteio na favela da Rocinha, zona sul do Rio. Um foi atingido de raspão na cabeça e outro no tórax e na mão direita. De acordo com o porta-voz da Polícia Militar, major Ivan Blaz, "em princípio, os ferimentos foram sem gravidade".

Eles foram feridos durante um confronto com traficantes, na localidade conhecida como região 199 na Rocinha. Os dois foram levados para o Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea, zona sul do Rio. 

+++ 2 acusados de participar de tentativa de invasão à Rocinha são presos

Segundo a PM, após a ação, uma pistola com kit rajada (adaptada para aumentar a frequência dos disparos) foi apreendida e um criminoso baleado foi encontrado por policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Rocinha. Ele foi reconhecido pelas equipes do Batalhão de Choque como um dos envolvidos no confronto desta segunda. Ele também foi levado para o Miguel Couto.

De acordo com o aplicativo Onde Tem Tiro, também foram ouvidos tiros nas comunidades Chácara do Céu e Vidigal, que ficam na região da Rocinha. A Secretaria Municipal de Educação informou que uma escola na Rocinha e outra Vidigal não funcionaram, por conta dos tiroteios. No total, 381 alunos estão sem aulas. 

Esta é a primeira vez que policiais foram feridos, desde quando começou a disputa pelo comando do tráfico na Rocinha, no dia 17 de setembro. Na ocasião, criminosos ligados a Antonio Bonfim Lopes, o Nem, líder da facção Amigos dos Amigos (ADA), teriam invadido a favela para tirar o controle do morro de Rogério 157, seu antigo aliado.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.