Estadão
Estadão

Dois suspeitos de integrar milícia são mortos pela polícia no Rio

Moradores do Morro do Fubá protestaram queimando ônibus após tiroteio que matou 'Marquinho Federal' e 'DG'

Fábio Grellet, O Estado de S.Paulo

26 Fevereiro 2018 | 20h29

RIO - Dois acusados de integrar uma milícia foram mortos durante operação realizada pela Polícia Civil do Rio de Janeiro no Morro do Fubá, em Campinho, na zona norte da cidade, nesta segunda-feira, 26. Em protesto, moradores da região incendiaram um ônibus.

+++ OAB quer explicações sobre fichamento em favelas

Segundo a polícia, houve tiroteio e foram mortos Marcos José Nascimento da Silva, o Marquinho Federal, e Rodrigo Ferreira Sobrinho, o DG ou Anão. Cada um portava uma pistola, diz a Polícia Civil. Foram apreendidos cinco carros, 26 carregadores de fuzil, 311 munições calibre 7.62 mm,  duas granadas defensivas, drogas em quantidade não informada, cadernos com anotações relacionadas às atividades criminosas, planilhas de cobranças, roupas militares camufladas e camisas com a inscrição “polícia”.

+++ PRF apreende 12 fuzis e 33 pistolas no Rio

Após a troca de tiros que resultou na morte dos dois acusados, moradores do Morro do Fubá atacaram e incendiaram um ônibus da linha 541 (Nova Iguaçu-Cascadura) que trafegava pelo Largo do Campinho. Ninguém se feriu nem foi preso. O trânsito foi interrompido durante 40 minutos.

A operação foi realizada pela Delegacia de Repressão a Ações Criminosas Organizadas e Inquéritos Especiais (Draco-IE) e pela Coordenadoria de Recursos Especiais (Core), com o objetivo de fazer um reconhecimento da região e procurar integrantes dessa milícia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.