Fábio Motta/Estadão
Fábio Motta/Estadão

Dois suspeitos morrem após confronto na Favela da Rocinha

Segundo a polícia, duas pistolas e seis carregadores foram apreendidos com os homens baleados durante a operação

Mariana Durão, O Estado de S.Paulo

04 Novembro 2017 | 17h40

RIO DE JANEIRO - 

Um tiroteio na Rocinha, na manhã deste sábado, 4, acabou com dois mortos. Segundo a Polícia Militar, o Batalhão de Choque fazia uma operação na favela e foi atacado por traficantes na área conhecida como Vila Verde. Dois suspeitos foram atingidos durante o confronto e levados para o Hospital Municipal Miguel Couto, mas não resistiram. A Delegacia de Homicídios (DH) da Capital instaurou um inquérito para apurar as circunstâncias das mortes.

A equipe da DH foi acionada para ir até o hospital. Segundo a Polícia Civil, um dos homens foi identificado como José Carlos dos Santos Paiva. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, os baleados já chegaram mortos ao Miguel Couto. Duas pistolas e seis carregadores foram encontrados com os dois homens e apreendidos. 

A PM informou ainda que, por volta das 11h30, a base principal da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Rocinha foi atacada por criminosos que atiraram contra a base, alvejando a sala do comandante e a cozinha. Não houve feridos, mas o Batalhão de Choque segue na Rocinha em apoio à UPP.

Outros confrontos

No Morro dos Macacos, na zona norte, um policial foi atingido de raspão na testa durante um confronto com criminosos na comunidade, no início da manhã deste sábado. O militar foi levado para o Hospital Federal do Andaraí, onde foi medicado e liberado. O Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE) foi acionado para reforçar o policiamento na comunidade, mas já deixou a região sem registro de prisões ou apreensões durante as ações.

Após uma semana de conflitos o Morro do Juramento, na zona norte do Rio, teve um sábado tranquilo até o momento. Policiais do 41º BPM, entretanto, seguem posicionados no alto da comunidade. No sábado passado, 28, uma operação na favela terminou com cinco homens mortos.  Segundo a Polícia Militar, eles seria traficantes e atacaram policiais que faziam uma operação na comunidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.