Reprodução Google Street View
Reprodução Google Street View

Bandidos fazem crianças reféns em van no Rio

Bando fugia de invasão frustrada em favela e abordou motorista; PM usou blindado

Márcio Dolzan, O Estado de S.Paulo

11 Agosto 2017 | 09h23

RIO - Criminosos em fuga roubaram uma van escolar com duas crianças a bordo, no início da manhã desta sexta-feira, 11, no Barreto, em Niterói, região metropolitana do Rio. Eles aproveitaram que o veículo estava parado na entrada de um condomínio e levaram a van até o Morro do Coreia. 

A Polícia Militar chegou a usar um blindado para entrar na favela. As crianças, de 1 ano e 11 meses e de 2 anos e 7 meses, foram resgatadas sem ferimentos. Ninguém foi preso.

A ação aconteceu por volta das 6 horas, mobilizou a PM e levou pânico aos pais das crianças e ao motorista da van, Josedir Cordeiro. “Eles estavam em fuga, de algum lugar, e bateram o veículo. Eu estava parado do outro lado, esperando uma criança. Viram a facilidade e me abordaram”, contou Cordeiro. “Foi muito triste. Entrei em desespero pela responsabilidade que tenho, pelos pais também.”

De acordo com a PM, durante a madrugada, uma facção criminosa tentou invadir o Morro do Marítimo e houve intensa troca de tiros com criminosos que dominam a região. Sem conseguir tomar a favela, eles roubaram um veículo e bateram um quilômetro depois. Foi aí que resolveram levar a van até o Morro da Coreia.

Quatro criminosos participaram da ação. Seis crianças estavam na van. O motorista conseguiu tirar quatro delas antes que o veículo fosse roubado. As outras duas foram levadas pelos criminosos.

Mãe de uma das crianças que ficaram na van, Vivian Oliveira viveu momentos de angústia. “Em alguns segundos a vida passa. É muito nervosismo, você fica pensando o que você faz com toda essa violência. A gente fica preso em casa, deixa o filho em casa? Não vai trabalhar? O filho fica sem estudar?”

Cautela. O resgate foi realizado por PMs do 7.º Batalhão de São Gonçalo, localizado próximo da região. Ao avistarem o veículo sendo abandonado pelos criminosos, o cabo Ricardo Azevedo e o soldado Renan de Oliveira se aproximaram, mas não atiraram contra os suspeitos. Viram as duas crianças sentadas nas poltronas e fizeram a retirada, sem confronto, enquanto o bando fugia. “Eles tiveram de agir com muita cautela, colocando as vidas em risco”, disse o coronel Rui França, comandante do 7.°BPM, à Globo News. O comando elogiou a ação.

Mais conteúdo sobre:
Polícia Civil Assalto Sequestro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.