Duas mulheres são atropeladas após tentativa de assalto no Rio

Dupla estava fugindo do assaltante, que foi preso depois de conseguir roubar a bolsa de uma 3ª vítima

Clarissa Thomé, de O Estado de S. Paulo,

08 de dezembro de 2007 | 18h55

Duas mulheres foram atropeladas ao fugir de dois assaltantes na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. No fim da noite de sexta-feira, 7, elas se recusaram a entregar as bolsas e tentaram fugir. O motorista do carro que as atingiu teve uma crise nervosa e os três foram levados para o Hospital Municipal Lourenço Jorge. A polícia prendeu um suspeito. Adriana da Silva Oliveira, de 26 anos, e Carine da Silva Gonzales, de 28 anos, e uma amiga caminhavam pela Avenida Ayrton Senna, no trecho em frente ao Terminal Alvorada. Elas pararam para ver bijuterias vendidas por um ambulante, quando um rapaz anunciou assalto e puxou a bolsa de Adriana, que estava com a amiga. A moça ficou sem reação, mas Adriana e Carine tentaram atravessar a pista correndo. Elas foram atropeladas pelo médico Artur Junqueira Barbosa Lima, que seguia num Xsara Picasso. Os três foram socorridos por uma ambulância do Corpo de Bombeiros e levados para o Hospital Lourenço Jorge. Carine teve uma fratura no tornozelo, Adriana sofreu apenas escoriações. Lima, que teve uma crise nervosa, foi medicado e liberado por volta das 5 horas deste sábado, 8. Policiais do 31.º Batalhão da Polícia Militar cercaram um matagal e conseguiram prender um adolescente de 17 anos, que estava com a bolsa roubada. Ele foi levado para a 16.ª Delegacia de Polícia e liberado em seguida, depois que o pai assinou um termo responsabilizando-se pelo garoto. Outros casos Em novembro, o turista italiano Giorgio Morasse morreu atropelado na Avenida Vieira Souto, em Ipanema, quando tentava recuperar o cordão roubado de seu pai por um jovem de bicicleta. Outro caso que lembrou o do italiano ocorreu neste sábado em Copacabana. Wellington Elídio Almeida Alves foi acusado de roubar um cordão e foi preso por policiais militares quando tentava fugir de bicicleta.

Tudo o que sabemos sobre:
violência no Rio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.