Durante busca por Fat Family, biblioteca infantil é atingida em tiroteio

Durante busca por Fat Family, biblioteca infantil é atingida em tiroteio

Balas deixaram marcas em livros do espaço, que estava fechado

Roberta Pennafort, O Estado de S. Paulo

25 de junho de 2016 | 12h36

RIO - A Biblioteca Infantil Maria Clara Machado, no Complexo da Maré, zona norte do Rio, foi alvejada por tiros nessa sexta-feira, 24, durante ação policial frustrada de busca ao traficante Nicolas Labre Pereira de Jesus, o Fat Family. A biblioteca estava fechada, sem nenhum frequentador ou funcionário.

“Os tiros marcaram vidraças, paredes, estantes e livros do espaço, onde ocorre contação de histórias, oficinas de texto e encontro com autores, e que é frequentado por milhares de crianças e adolescentes”, segundo informou o perfil da ONG Redes de Desenvolvimento da Maré, que montou a biblioteca, no Facebook.

A polícia do Rio faz operação desde segunda-feira, 20, para localizar Fat Family e os comparsas que o resgataram no domingo passado, 19, do Hospital Municipal Souza Aguiar, no centro, onde ele estava internado, sob custódia. Ninguém ligado ao resgate foi encontrado. Nessa sexta-feira, a casa onde Fat Family estava escondido chegou a ser localizada, mas ele não estava mais lá – foi levado para outro esconderijo.

A casa fica na Nova Holanda, uma das 15 favelas do complexo. Foram encontrados material de primeiros socorros e medicamentos usados pelo criminoso. Houve confronto da polícia com traficantes da favela. Cinco pessoas foram mortas e sete, presas. Dois policiais ficaram feridos. Não se sabe de qual lado partiram os tiros que acertaram a biblioteca, atravessando portas e janelas.

A unidade integra a Rede de bibliotecas comunitárias do estado do Rio. A Redes de Desenvolvimento da Maré informa em seu site que realiza projetos “no sentido de evitar operações truculentas das forças policiais, que a pretexto de combater o tráfico criminalizam a população e causam vítimas inocentes”.

Tudo o que sabemos sobre:
FatONGFacebookRede

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.