'É imperdoável', diz prefeito do Rio sobre desabamento de ciclovia

Em nota, Eduardo Paes lamentou o ocorrido e diz ter determinado apuração imediata do acidente

Roberta Pennafort, O Estado de S.Paulo

21 Abril 2016 | 16h18

RIO - O prefeito do Rio, Eduardo Paes (PMDB), enviou nota dizendo que “lamenta profundamente” o desabamento de um trecho da ciclovia Tim Maia, nesta quinta-feira, 21, e que se solidariza com as famílias das vítimas e com todos os cariocas. O prefeito estava indo para Atenas, na Grécia, onde participaria da cerimônia de passagem da tocha olímpica - a Olimpíada do Rio será em agosto. Ele foi informado do desabamento e resolveu voltar ao Rio. Paes dará entrevista na sexta-feira, 22, sobre o assunto, em horário ainda não previsto.

“É imperdoável o que aconteceu, já determinei a apuração imediata dos fatos e estou voltando para o Brasil para acompanhar de perto”, declarou o prefeito, que viajara ontem de noite. A Prefeitura informou na nota que “a prioridade neste momento é garantir a segurança da população e o atendimento às vítimas e aos seus familiares”. 

A Avenida Niemeyer, onde fica a ciclovia, continuará interditada. O desabamento foi por volta das 11 horas. A ciclovia foi inaugurada dia 17 de janeiro. O caso será investigado pela delegacia do bairro da Gávea.

Técnicos da Secretaria Municipal de Obras estão no local. O resultado da vistoria realizada para apurar as causas do acidente serão divulgadas quando de sua conclusão, diz a nota da Prefeitura. Os reparos na ciclovia serão executados pela empresa responsável pela construção, sem ônus adicionais ao município, já que a ciclovia ainda está na garantia de obra. Mais cedo, o consórcio Contemat/Concrejato informou que está avaliando as causas do acidente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.