MARCOS DE PAULA/ESTADÃO
MARCOS DE PAULA/ESTADÃO

Efeitos hi-tech invadem a Marquês de Sapucaí

Samba padronizado e fantasias repetitivas levam escolas a apelar para a modernidade; apuração começa a partir das 16h30

Silvio Barsetti, O Estado de S.Paulo

18 de fevereiro de 2015 | 02h01

RIO - Com sambas padronizados e alegorias e enredos repetitivos, as escolas de samba do Rio recorrem cada vez mais à tecnologia para se destacar no sambódromo. Neste ano, com o carnavalesco Paulo Barros, considerado o mais inventivo, a Mocidade Independente de Padre Miguel foi uma das que mais ousaram, em sua viagem às 24 horas derradeiras da humanidade.

A escola, na primeira noite, começou com a comissão de frente e a porta-bandeira pegando fogo. Depois, mostrou na bateria instrumentos que acendiam a cada movimento.

Na segunda noite, a tradicional Portela, em busca do título desde 1985, homenageou os 450 anos do Rio com a aterrissagem de quatro paraquedistas. A agremiação também fez uso de drones - foram 450 miniáguias que voaram em direção ao público.

No Salgueiro, a comissão de frente despertou o público ao criar movimentos ondulados com uma manta de LED que pesava 100 quilos e projetava imagens em 3D. No estilo hi-tech, a escola exibiu alegorias com luzes estroboscópicas, efeitos holográficos e muito néon.

Mais desfiles. Na segunda noite, a leveza e a alegria da Portela podem esbarrar na exuberância da Beija-Flor ou no desfile técnico da Unidos da Tijuca. As escolas estão na condição de favoritas, com Salgueiro e Mocidade.

A Unidos da Tijuca, que busca o bicampeonato, encerrou na manhã desta terça-feira, 17, a festa com uma homenagem a Clovis Bornay. Sem Paulo Barros, a escola perdeu em criatividade, mas pareceu mais aprimorada em detalhes técnicos que podem lhe render pontos preciosos.

A Beija-Flor estava instigada a fazer um desfile de emoção e garra, apesar da polêmica envolvendo a homenagem à Guiné Equatorial, que vive sob ditadura há 35 anos. São Clemente, que luta para não cair, União da Ilha, com um enredo sobre a beleza, justamente o que lhe faltou, e a Imperatriz Leopoldinense, numa emocionada homenagem a Nelson Mandela, também passaram pela Sapucaí na segunda noite.

Escola campeã. 

A apuração dos desfiles das escolas de samba do Rio será na tarde desta quarta-feira, a partir das 16h30. Com a extinção do quesito conjunto, nove serão avaliados: bateria, samba-enredo, harmonia, evolução, enredo, alegorias/adereços, fantasias, comissão de frente e mestre-sala/porta-bandeira.

Cada quesito terá quatro julgadores, que concederão notas entre 9 e 10 pontos, com frações de um décimo. Em caso de empate, o último quesito a ter as notas anunciadas será o primeiro a ser usado para o desempate./COLABORARAM CLARISSA THOMÉ, ROBERTA PENNAFORT, MARIANA SALLOWICZ, IDIANA TOMAZELLI, MÔNICA CIARELLI e FÁBIO GRELLET


Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.