ESTEFAN RADOVICZ/AGÊNCIA O DIA/AGÊNCIA O DIA
ESTEFAN RADOVICZ/AGÊNCIA O DIA/AGÊNCIA O DIA

Em 1º dia de operação, VLT do Rio sofre pane

Passageiros relataram que veículo saiu dos trilhos, o que foi negado pela secretaria de Transportes; ninguém ficou ferido

Roberta Pennafort e Fábio Grellet, O Estado de S.Paulo

06 de junho de 2016 | 18h24

RIO - Em seu primeiro dia útil de operação, o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), no centro do Rio, sofreu uma pane e parou a cerca de 200 metros do Aeroporto Santos Dumont. Os passageiros tiveram que descer da condução e relataram no local que o bonde saiu do trilho, o que é negado pela prefeitura. O fato aconteceu por volta das 15h desta segunda-feira, 6, quando o VLT estava em um passagem de nível sob a pista do Aterro do Flamengo. Ninguém ficou ferido.

As fotografias publicadas nas redes sociais mostram passageiros em volta do bonde, mas não esclarecem se houve descarrilamento. No local, o Estado constatou que não há trilho no ponto onde o VLT parou e desceram os passageiros. Isso indica que a condução pode mesmo ter descarrilado parcialmente.

A Secretaria Municipal de Transportes buscou minimizar o problema, que seria esperado na “fase de adaptação” do sistema, e negou que o VLT tenha saído do trilho. O Estado entrevistou taxistas que fazem ponto no Santos Dumont. Eles contaram que o bonde saiu mesmo do trilho, segundo relatos dos passageiros que saltaram e se dirigiram a pé ao aeroporto.

Energia. Segundo a secretaria, o VLT seguia em direção ao aeroporto e teve o serviço interrompido por uma queda de energia, após deixar a parada Antônio Carlos. “O desembarque em via foi realizado de forma segura, com o auxílio de agentes da concessionária qualificados para este tipo de atividade. A operação dos demais trens não foi afetada, e o serviço do VLT 101 foi restabelecido em cerca de 20 minutos, sem novas interrupções. Cabe esclarecer que nesta etapa novos eventos podem ocorrer, pois a fase é de adaptação”, diz nota da secretaria.

O novo bonde trafegou lotado nesta segunda – este mês, a tarifa não está sendo cobrada. O horário está limitado, das 12h às 15h, e as paradas lotaram. Os passageiros queriam conhecer a novidade, mais do que utilizá-la para deslocamentos necessários. Taxistas que fazem ponto do aeroporto contaram que o bonde havia saído lotado e, poucos minutos depois, os passageiros voltaram a pé relatando o incidente, assustados com a falha logo no primeiro dia útil de operação.

Depois de dois anos de obras, o VLT começou a circular no domingo, 5, entre a Praça Mauá e o Santos Dumont, pela Avenida Rio Branco. A inauguração, festiva, que contou com ritmistas de escolas de samba, foi feita pelo prefeito Eduardo Paes (PMDB), que disse que o novo modal de transporte foi resultado de um “esforço de mobilidade” inspirado pela Olimpíada, a ser disputada em agosto.

A maior preocupação da prefeitura no momento é com relação ao risco de atropelamentos – durante as obras, pedestres se habituaram a andar sobre os trilhos. Os bondes estão sendo precedidos de escolta de motociclistas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.