WILTON JUNIOR/ESTADÃO
WILTON JUNIOR/ESTADÃO

Em 2 dias, PM a cavalo e em bicicletas prende 5 no centro do Rio

Reforço do contingente de policiais -na região ocorre desde o último sábado; seis menores foram apreendidos e 31 levados a abrigos

Carina Bacelar, O Estado de S. Paulo

07 Maio 2015 | 20h16

RIO - Desde terça-feira, 5, quando policiais militares começaram a patrulhar ruas do centro do Rio a cavalo e de bicicleta, cinco pessoas foram presas, 20 foram conduzidas a delegacias para averiguação, seis menores de idade foram apreendidos e outros 31 foram encontrados em situação de risco e conduzidos para abrigos. No balanço de apreensões, foram recuperados 23 celulares, dois cordões e 120 DVDs. 

De acordo com o comandante do 5º Batalhão de Polícia Militar, tenente-coronel Ricardo Faria, o policiamento no Centro da cidade atualmente conta com mais de 70 policiais do Batalhão de Policiamento Turístico (BPTur), do Regime Adicional de Serviço (RAS), do Batalhão de Policiamento em Grandes Eventos (BPGE) e do Serviço Reservado. O comando considera, segundo divulgado em nota, que o esquema de policiamento "deu mais agilidade na resolução das ocorrências" e que o trabalho de PMs sem farda vem ajudando na busca de suspeitos armados. 

Em meio a essas medidas, na tarde desta quarta-feira, 6, a Polícia Civil deteve dez adultos e conduziu sete adolescentes à Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA)durante uma operação, também contra os roubos na região. Todos os adultos, entretanto, foram liberados depois de consultados seus antecedentes criminais. Já os adolescentes, segundo a polícia, estavam em situação de risco. Cinco deles já haviam sido apreendidos por furto e tráfico de drogas, e não estavam matriculados em escolas. Por isso, os pais deles foram autuados por abandono material e intelectual dos jovens, que foram encaminhados a conselho tutelares. 

A Polícia Civil afirmou ainda que, durante a ação, não houve apreensão de menores de idade. Participaram, além de policiais da DPCA e da Delegacia da Criança e Adolescente Vítima (DCAV), agentes do Departamento Geral de Polícia Especializada (DPGE). 

O reforço do contingente de policiais militares na região ocorre desde o último sábado. Na quinta-feira, 30, um homem de 52 anos foi esfaqueado na Avenida Rio Branco. Ele reconheceu na manhã desta quinta os dois suspeitos presos na véspera: Rodrigo de Souza Duarte, de 25 anos, o autor das facadas, e Paulo Henrique Benedito da Silva, de 20 anos. Ambos confessaram o crime. Com eles foram apreendidos objetos roubados, como roupas, cordões e celulares.

Mesmo visivelmente mais policiado, o centro ainda provoca preocupação entre os pedestres. Entre as mulheres, vítimas preferenciais dos bandidos ao lado de idosos, é quase uma regra esconder objetos de valor nas ruas. Nem assim, os assaltos são evitados. A advogada Taís Roberta dos Santos, de 23 anos, trabalha há um ano na região e, no dia 30, foi assaltada por um homem armado na Rua do Ouvidor. "Ele botou a arma na minha barriga e disse para eu andar e não olhar para trás, senão daria um tiro nas minhas costas", relatou ela.

Mais conteúdo sobre:
Rio de Janeiro violência

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.