Foto: Fabio Motta|Estadão
Foto: Fabio Motta|Estadão

'Em jejum' desde sexta-feira, Garotinho passa bem em Bangu 8

Advogado de Garotinho afirmou que ato de ex-governador 'não é greve de fome, é um jejum'

Marcio Dolzan, O Estado de S.Paulo

17 de dezembro de 2017 | 11h40

RIO - Em “jejum por tempo indeterminado” desde sexta-feira, o ex-governador do Rio Anthony Garotinho (PR) “está bem, mas irresignado” no presídio de Bangu 8, no Complexo de Gericinó, no Rio. Ele foi preso há 27 dias sob acusação de chefiar uma organização criminosa que extorquia dinheiro de empresários e de receber suborno da JBS.

Advogado de Garotinho, Carlos Azeredo visitou o ex-governador na tarde de sábado e na manhã deste domingo. “Ele está bem, está bem. Está um pouco irresignado da injustiça”, comentou o defensor.

Em carta escrita à mão e endereçada à direção do presídio na sexta-feira, Anthony Garotinho informou que permanecerá em “jejum por tempo indeterminado” por considerar ter sido preso injustamente e por estar no “limite do sofrimento”. Garotinho fez o mesmo em 2006, quando era pré-candidato à Presidência da República e ficou onze dias sem comer.

+Garotinho inicia greve de fome em presídio no Rio

Questionado pelo Estado neste domingo se o ex-governador impôs alguma condição para encerrar a greve de fome, Carlos Azeredo respondeu apenas que “não é greve de fome, é um jejum”.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.