Fábio Motta/Estadão
Fábio Motta/Estadão

Em meio a crise, passagem de bondinho de Santa Teresa custará R$ 20

Valor, no entanto, não valerá para os moradores nem para pessoas que 'utilizem habitualmente' o transporte, segundo 'Diário Oficial'

Constança Rezende, O Estado de S. Paulo

10 Novembro 2016 | 12h50

RIO - Sob pressão da crise financeira que enfrenta desde 2015, o governo do Rio resolveu fixar em R$ 20 a tarifa dos tradicionais bondinhos de Santa Teresa, símbolo do bairro. O valor, no entanto, não valerá para os moradores nem para pessoas que "utilizem habitualmente" o transporte, segundo o Diário Oficial do Estado desta quinta-feira, 10, que publicou a medida. 

Desde que os bondes voltaram a circular parcialmente, após uma interrupção de quatro anos provocada por um grave acidente em agosto de 2011, o sistema não cobrava nada dos passageiros.  O governo do Rio afirma que fixou o valor por causa da "necessidade de reequilíbrio das finanças estaduais, abaladas pela forte crise que atingiu o Estado", além do retorno parcial da operação do serviço de transporte.

O bondinho parou de funcionar em agosto de 2011. O acidente deixou cinco mortos e 57 feridos. Uma composição que descia a Rua Joaquim Murtinho, rumo aos Arcos da Lapa, descarrilou em uma curva. De acordo com testemunhas, o veículo estava em alta velocidade. Houve relatos de que o veículo, com péssima manutenção, perdera os freios. O governo , então, decidiu reformar o sistema, mas, por falta de dinheiro, parou as obras.

Quatro anos depois do acidente, o sistema voltou a funcionar, mas em horários e percursos restritos, em função das obras interrompidas. Na última segunda, 7, os bondes passaram a rodar em um horário ampliado: das 6h30 às 16h15 em dias de semana e das 10h às 18h, aos sábados, com saídas a cada 15 minutos.

De acordo com o texto do diário, os usuários moradores do bairro de Santa Teresa deverão fazer um cadastro prévio junto à Secretaria de Transportes para obter a gratuidade no acesso ao sistema de bonde.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.