Michel Filho/Enquadrar
Michel Filho/Enquadrar

Em meio à pandemia, Rio tem mais um fim de semana de calor e praias lotadas

Depois de atingir a temperatura recorde de 41,6ºC na sexta-feira, a capital fluminense teve a temperatura máxima próxima de 40ºC no sábado e neste domingo

Mariana Durão, O Estado de S.Paulo

31 de janeiro de 2021 | 23h01

RIO - As praias do Rio voltaram a ficar lotadas no fim de semana, apesar da gravidade da pandemia de covid-19. Depois de atingir a temperatura recorde de 41,6ºC na sexta-feira, 29, a capital fluminense teve a temperatura máxima próxima de 40ºC no sábado e neste domingo, mas a sensação era de um calor mais intenso. Na estação de Irajá, na zona norte do Rio, a sensação térmica chegou a 44,3ºC às 15h30.

Imagens de uma aglomeração na manhã deste domingo na praia de Ipanema, na orla da zona sul, circularam nas redes sociais. O professor de educação física Giuliano Bruno postou fotos de uma multidão sem máscara vendo o nascer do sol entre o Posto 8 e o Arpoador, segundo ele, por volta das 5h30. Diante do tempo seco e quente, muitos cariocas também resolveram aproveitar a praia à noite com familiares e amigos. 

A Prefeitura do Rio manteve as ações integradas para fiscalizar as medidas de proteção contra a covid-19. No sábado houve fiscalizações nos bairros de Copacabana, Leme, Leblon, Tijuca e Maracanã, palco da final da Copa Libertadores.

De 15 a 30 de janeiro, a operação inspecionou 322 estabelecimentos, registrando 154 infrações sanitárias e 29 interdições, oito delas de eventos clandestinos que reuniram mais de 4,5 mil pessoas. Neste domingo, a Coordenadoria de Controle Urbano interrompeu um churrasco de aniversário no Recreio, na zona oeste, com mais de 100 convidados, música e som alto. 

A previsão é que o calor continue muito forte no Rio ao longo da próxima semana, com as temperaturas máximas variando de 38ºC a 40ºC, segundo o Sistema Alerta Rio, da prefeitura.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.