Em menos de 12 horas, cinco militares são assassinados no Rio

Entre os mortos, está um integrante do Bope, considerado a tropa de elite da polícia militar fluminense

Solange Spigliatti e Clarissa Thomé, da Agência Estado,

21 de novembro de 2007 | 03h33

A cidade do Rio de Janeiro foi palco para cinco assassinatos de militares, em menos de 12 horas, entre o início da noite de terça-feira, 20, e o fim da madrugada desta quarta-feira, 21. Um policial do Batalhão de Operações Especiais (Bope), considerado a tropa de elite da polícia fluminense, três homens da Polícia Militar e um capitão do Exército foram vítimas de atiradores em pontos diferentes da cidade. Aparentemente, as ações não são coordenadas.   Integrante do Bope, o cabo Adonay Cavalcante Xavier foi morto a tiros quando estacionava seu carro em casa, no bairro da Tijuca, na zona norte Rio de Janeiro. Segundo a assessoria da PM, o policial estava de folga e os criminosos teriam fugido logo após os disparos, sem roubar nada. Xavier chegou a ser socorrido no Hospital Geral da Polícia Militar.   O capitão do Exército Vander Cerqueira de Lima, de 36 anos, foi morto em uma falsa blitz em Deodoro, na zona oeste do Rio. A mulher dele, a psicóloga Cláudia, de 34 anos, que está grávida de sete meses, também foi atingida na perna. O filho do casal Mateus, de 2 anos, não foi atingido. O oficial havia passado próximo ao piscinão de Deodoro quando foi parado na falsa blitz.   Lima desceu do carro e quando percebeu que se tratava de uma falsa blitz teria dito "perdi, perdi" e logo depois teria pedido que sua família não fosse agredida. Foi quando começou o tiroteio. O policial foi atingido por um tiro de fuzil e sua mulher ferida por uma bala de pistola. Ela está internada no Hospital Central do Exército e não corre perigo.   Três policiais militares, lotados no 23º BPM, no Leblon, no Rio de Janeiro, foram mortos a tiros no final da madrugada desta quarta-feira, 21. Os soldados Avelar, Calheiros e Aurélio saíram de casa para trabalhar quando foram rendidos por homens encapuzados e armados que estavam em um Gol.   Segundo informações da PM, provavelmente eles sofreram uma tentativa de assalto e foram reconhecidos pelos bandidos durante a abordagem, na Estrada Carvalho Ramos, em Inhoaíba, zona oeste do Rio, e foram alvejados. O registro será feito na 35ª DP, em Campo Grande. A polícia ainda não tem pistas sobre os criminosos.

Mais conteúdo sobre:
violênciaRio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.