Google Street View/Reprodução
Google Street View/Reprodução

2 homens são mortos a tiros em região boêmia da zona sul do Rio

Um taxista ficou ferido ao ser atingido por bala perdida; polícia suspeita que tenha sido um acerto de contas

Fabio Grellet e Sara Abdo, O Estado de S.Paulo

08 Março 2018 | 01h05
Atualizado 08 Março 2018 | 17h48

RIO E SÃO PAULO - Dois homens morreram baleados ao redor da Praça São Salvador, em Laranjeiras, na zona sul do Rio de Janeiro, na noite desta quarta-feira, 7. A ação criminosa causou pânico entre as pessoas presentes na praça por volta das 23h30, reduto boêmio da zona sul carioca. Um taxista foi atingido por uma bala perdida, mas sobreviveu. Os atiradores conseguiram fugir e não haviam sido identificados até a tarde desta quinta-feira, 8.

+++Novos chefes das polícias comandarão transformação, diz general

Dezenas de pessoas testemunharam a ação criminosa - a praça é palco frequente de shows musicais e rodeada por bares. Homens passaram em um carro e atiraram contra dois homens, cujos nomes não haviam sido confirmados - um deles estava sem documentos. Só o que havia sido divulgado até então é que um deles chamava Léo e outro tinha o apelido de Piu. O primeiro morreu na porta de um prédio na Rua Senador Correia, atingido por um tiro na testa. O outro saiu correndo e foi atingido quando estava na esquina das Ruas Senador Correia e São Salvador. Caiu no asfalto e o carro ainda passou por cima de seu corpo.

+++ Suítes de prisão da Lava Jato são transformadas em quartos de motel

Segundo testemunhas, ao todo foram disparados cerca de 30 tiros. Um deles atingiu o taxista Alexandre Ramos, de 53 anos, que estava na praça a trabalho. Ferido na barriga, ele foi levado ao Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea, também na zona sul. Durante a madrugada, Ramos submeteu-se a cirurgia e, segundo a unidade de saúde, estava em estado "estável" na tarde desta quinta-feira.

Um automóvel Fox branco, que estava estacionado ao redor da praça, também foi atingido pelos tiros e teve vidros quebrados. O local onde os tiros foram disparados fica a 600 metros do Palácio Guanabara, sede do governo do Estado.

A polícia suspeita que o crime tenha sido um acerto de contas entre criminosos que integram quadrilhas rivais e controlam a venda de drogas na região. Na madrugada desta quinta-feira foi feita perícia no local e foram recolhidas imagens de câmeras de segurança da região para tentar identificar os criminosos.

 

O caso está sendo investigado com maior propriedade pelo 9º BPM (Honório Gurgel) e pela Delegacia de Homicídios. 

Dia violento

Mais cedo, outras duas mortes foram registradas na região metropolitana do Rio de Janeiro. A PM informou que dois criminosos morreram após entrarem em confronto com policiais na comunidade do Massapê, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.