Empresa de gás vai a flat 12 dias após as mortes de meninas

Na tarde desta quarta, a mãe das garotas vai cobrar mais rigor na legislação sobre instalação de aquecedores

Pedro Dantas, do Estadão,

29 Agosto 2007 | 12h57

Doze dias após a morte por intoxicação das meninas Kawai, de 12 anos, e Keilua Basotti, de 5 anos, a Companhia Estadual de Gás (CEG) realiza, nesta quarta-feira, 29, uma vistoria no Condomínio Barra Beach, na Barra da Tijuca (zona oeste).  De acordo com moradores e hóspedes do flat, a maioria dos banheiros são idênticos e as pessoas estão tomando banho de porta aberta para evitar uma possível intoxicação. O acesso dos jornalistas ao prédio foi proibido e os funcionários informaram que a síndica não atenderá a imprensa.  A mãe das vítimas, a intérprete Conceição Gonçalves, estará com o presidente da Comissão de Direitos Humanos da Assembléia Legislativa, Alessandro Molon (PT) na tarde desta quarta. Ele receberá das mães das vítimas de gás, do movimento "Morte Por Gás Nunca Mais", reivindicações de mais rigor na legislação sobre a instalação e a manutenção dos aquecedores de gás.

Mais conteúdo sobre:
KeiluaKawaigásBarra Beach

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.