Empresário confessa envolvimento em desvio de verbas para Teresópolis

Segundo ele, empresários e secretários se reuniram para dividir R$ 100 mi destinados à reconstrução da cidade

Tiago Rogero, estadão.com.br

08 Agosto 2011 | 19h07

RIO - O dono da empresa RW Engenharia, José Ricardo de Oliveira, confirmou na manhã desta segunda-feira, 8, que participou do esquema de corrupção envolvendo o pagamento de propina com verbas destinadas à reconstrução de Teresópolis, na Região Serrana do Rio, após os temporais de janeiro deste ano. Ele depôs na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Assembleia Legislativa do Rio que investiga os responsáveis pela tragédia causada pela chuva na Região Serrana.

O empresário disse que participou de uma reunião na secretaria de Planejamento da cidade, na segunda quinzena de janeiro, quando foi discutida a elevação da propina paga por empresas de 15% para 50%. Ele afirmou que, por não aceitar o novo porcentual, deixou de receber do município, e então decidiu denunciar o esquema ao Ministério Público Federal (MPF).

"No caso de Teresópolis, já existem inquéritos no MPF e também no Ministério Público do Estado. Vamos transcrever os depoimentos de hoje e encaminhar às duas instituições. Nos próximos dias, a CPI ouvirá pessoas ligadas a Nova Friburgo (também na Região Serrana)", disse o relator, deputado Nilton Salomão (PT).

No depoimento, o dono da RW Engenharia citou outra empresa, a Vital Engenharia. O gerente jurídico da Vital, Cláudio Pontual, que também depôs na CPI, negou todas as acusações e se comprometeu a enviar cópia dos contratos, com valor, prazo e objeto do serviço para que os parlamentares possam fazer uma análise dos documentos.

O dono da RW Engenharia procurou o MPF em abril para denunciar o esquema em troca de delação premiada - quando um criminoso faz um acordo com a Justiça e ajuda nas investigações. Segundo ele, empresários e secretários municipais se reuniram para dividir os contratos e recursos federais: um total de R$ 100 milhões.

A suspeita de corrupção levou os vereadores de Teresópolis a afastarem do cargo, na semana passada, por 90 dias, o prefeito Jorge Mario Sedlacek (sem partido). O vice-prefeito, Roberto Pinto (PR), que assumiu na sexta-feira, morreu na madrugada de ontem, vítima de infarto. Na tarde de ontem, tomou posse o presidente da Câmara, Arlei de Oliveira (PMDB).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.