Dida Sampaio/Estadão - 29/5/2019
Dida Sampaio/Estadão - 29/5/2019

Enquanto covid cresce no Rio, governo transforma em lei carnaval em julho

Mesmo com a criação da lei e a definição de datas para os desfiles no Rio, o governo fluminense afirmou ao Estadão que não há garantia da realização do evento

Marcio Dolzan, O Estado de S.Paulo

14 de janeiro de 2021 | 16h23

Em meio a uma curva ascendente de casos e mortes pela covid-19, o governador em exercício do Rio, Cláudio Castro (PSC), transformou em lei o "CarnaRio - Carnaval fora de época", programado para todos os meses de julho. A medida já vale em 2021, mesmo que o Estado ainda enfrente a pandemia e não haja nenhuma certeza a respeito da capacidade de vacinação. A Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa) já tinha definido as datas de 11 e 12 de julho para os desfiles do Grupo Especial.

Mesmo com a criação da lei e a definição de datas para os desfiles no Rio, o governo fluminense afirmou ao Estadão que não há garantia da realização do evento em julho.  "O Governo do Estado esclarece que a lei possibilita a realização do evento, mas que irá seguir as recomendações das autoridades sanitárias", sustentou. "Além disso, a alteração da lei permite que a Secretaria de Estado de Cultura apoie o maior evento cultural do Rio de Janeiro, sempre em diálogo com representantes de escolas de samba e blocos."

A lei, resultado de projeto de autoria do deputado Dionísio Lins (PP), tem por finalidade "a estimulação do turismo,  lazer e principalmente, o aquecimento da economia com a criação de postos de empregos e venda de produtos e serviços", conforme consta em publicação do Diário Oficial do Estado de terça-feira, 12. O texto também explica que a organização da festa "deverá contar com a participação das ligas, agremiações e blocos carnavalescos", numa clara referência aos organizadores dos desfiles das escolas de samba e dos blocos de rua do Carnaval.

No site da Liesa, além das datas em julho para o desfile do Grupo Especial, já consta até a ordem de entrada de cada escola na Marquês de Sapucaí.  Há, contudo, uma ressalva. "A vacinação da população contra a Covid-19 será fundamental para a realização do espetáculo nestas datas", informa.

Representantes de blocos carnavalescos estão mais céticos. Defendem que qualquer manifestação de carnaval só ocorra após a vacinação em massa da população.

O carnaval deste ano deveria acontecer na semana de 16 de fevereiro, mas foi cancelado nos últimos meses do ano passado devido à pandemia. À época, representantes das escolas de samba chegaram a citar o mês de julho como possível época para os desfiles, mas não havia uma definição até a terça-feira.

No Rio, a terça-feira de carnaval é feriado estadual desde 2008, sendo que a segunda-feira tradicionalmente é de ponto facultativo. Apesar do cancelamento do carnaval no próximo mês, o governo do Estado ainda não decidiu se manterá a data como feriado este ano. Uma definição deverá sair nos próximos dias.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.