Tasso Marcelo/AE
Tasso Marcelo/AE

Era cena de filme de terror, diz soldado que socorreu vítimas do bonde

Mário de Olivera Santos foi um dos primeiros a chegar no local do acidente que matou cinco e feriu 57 em Santa Teresa, no Rio

Alfredo Junqueira, de O Estado S. Paulo

28 Agosto 2011 | 09h34

O soldado da Polícia Militar Mário de Oliveira Santos Neto, de 31 anos, estava entre os primeiros oficiais que chegaram ao local do acidente do bonde de Santa Teresa, na tarde deste sábado, 27, no Rio de Janeiro. "Era uma cena de filme de terror. Pessoas com fraturas expostas, muita gente ferida", contou.

 

O bondinho saiu dos trilhos e capotou. Na queda, cinco pessoas morreram e 57 feridos foram hospitalizados, 10 em estado grave. "Passou um ônibus pelo local e nós paramos o veículo e conseguimos colocar 20 a 30 pessoas e trouxemos para cá (Hospital Souza Aguiar)", afirmou o soldado.

 

Além do condutor do bonde, morreram uma garota de 13 anos, um casal de idosos e uma pessoa com cerca de 30 anos. Os nomes das vítimas não haviam sido divulgados até o fim da noite de sábado. "No meio de todo aquele caos, conseguimos tirar de dentro um bebê de três meses, uma menina. Ela estava localizada na parte onde estavam as pessoas que morreram. Mas ela não sofreu nada", recorda-se Mário de Oliveira.

 

O governo do Rio anunciou que o serviço de bondes em Santa Teresa está suspenso até que sejam conhecidas as causas do acidente.

 

Mais conteúdo sobre:
bondinho santa teresa bonde

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.