Estelionatária presa por vender falsos empregos para Copa 2014 e Olimpíadas 2016

Simone Neves cobrava até R$ 2 mil para agenciar os candidatos, que tinham como certa a contratação e era atraídas por altos salários, de até R$ 30 mil

Ricardo Valota, do estadão.com.br,

19 Abril 2011 | 03h40

SÃO PAULO - A estelionatária Simone Neves, acusada de vender falsos empregos para a Copa de 2014 e Olimpíadas de 2016 aqui no Brasil, foi presa, na tarde de segunda-feira, 18, em frente a um prédio da Petrobrás, no Rio, no momento em que recebia R$ 1 mil de mais uma vítima.

 

Passando-se por funcionária do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) e da Petrobrás, a criminosa, que já tem passagem por estelionato, cobrava até R$ 2 mil para agenciar os candidatos, que tinham como certa a contratação. Simone criava e-mails e conversas entre funcionários do Departamento de Recursos Humanos (DRH) do COB para dar mais realidade no esquema e assim enganar as pessoas, atraídas pelo altos salários, de até R$ 30 mil, e cargos com expediente flexível.

 

O flagrante foi realizado por agentes da Delegacia de Defraudações (DDEF). Petrobrás, COB e Confederação Brasileira de Futebol (CBF) informaram que Simone Neves não faz parte do quadro de funcionários nem da relação de prestadores de serviços, e que não conhecem a criminosa. Além da vítima que entregava o dinheiro à estelionatária no momento do flagrante, outras seis pessoas já disseram que foram enganadas por Simone, segundo informou o delegado Fernando Vila Pouca de Souza, titular da DDEF.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.