Tânia Rego/Agência Brasil
Tânia Rego/Agência Brasil

Ex-chefe da Seap no Rio deixa a prisão em Bangu

Raphael Montenegro deixou o Presídio Pedrolino Werling de Oliveira neste domingo, 22, após cumprir cinco dias de prisão temporária

Marcio Dolzan e Roberta Jansen, O Estado de S.Paulo

22 de agosto de 2021 | 13h30

RIO - O ex-secretário de Administração Penitenciária (Seap) do Estado do Rio de Janeiro Raphael Montenegro deixou o Presídio Pedrolino Werling de Oliveira (Bangu 8) neste domingo, 22, após cumprir cinco dias de prisão temporária. Ele estava preso desde terça-feira passada, quando foi alvo da Operação Simonia.

Além de Montenegro, também foram soltos outros dois ex-funcionários da Seap: o ex-subsecretário de Gestão Operacional Wellington Nunes da Silva, e o ex-superintendente Sandro Gimenes.

O trio é acusado de tentar negociar a transferência de líderes do Comando Vermelho de presídios federais para penitenciárias do Estado. Raphael Montenegro foi gravado durante encontro com algumas lideranças da facção no presídio federal de Catanduvas, no Paraná.Por isso, o ex-chefe da Seap responde por suspeitas de ter praticado pelo menos três crimes: falsidade ideológica, advocacia administrativa (quando o funcionário público usa o cargo para defender interesse privado na administração pública) e associação para o tráfico. A defesa nega as acusações.

Novo comandante

O coronel Luiz Henrique Marinho Pires foi nomeado neste domingo, 22, o novo comandante da Secretaria de Polícia Militar em lugar de Rogério Figueiredo – último secretário no governo do estado nomeado pelo ex-governador Wilson Witzel (PSC), que sofreu impeachment.

Pires tem 32 anos de Polícia Militar e foi chefe do estado maior em 2018, durante a intervenção federal na segurança pública fluminense. Atualmente ocupava o cargo de subsecretário de Operações da Secretaria de Ordem Pública da capital. A troca foi anunciada pelo governador Cláudio Castro (PL) e será publicada no Diário Oficial de amanhã.

"O combate ao crime organizado, ligado ao tráfico de drogas ou à milícia, é prioridade da nossa gestão", afirmou Castro, durante a cerimônia de posse. "Todos os dias, os agentes de segurança estão nas ruas para atuar com rigor no cumprimento da lei."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.