Tomaz Silva/Agencia Brasil
Tomaz Silva/Agencia Brasil

Ex-secretário de Saúde do Rio morre de covid-19

O médico Carlos Alberto Chaves, de 71 anos, foi a quarta pessoa a ocupar a secretaria estadual de Saúde do Rio durante a pandemia

Fábio Grellet, O Estado de S. Paulo

20 de agosto de 2021 | 20h58

O médico pneumologista Carlos Alberto Chaves, de 71 anos, que foi secretário estadual de Saúde do Rio de Janeiro entre setembro de 2020 e maio de 2021, morreu nesta sexta-feira, 20, vítima de covid-19. Ele estava internado no Hospital Naval Marcílio Dias, no Lins de Vasconcelos, na zona norte do Rio. O governador Cláudio Castro (PL) decretou luto por três dias no Estado.

Chaves contraiu a doença na primeira quinzena de julho, e chegou a avisar jornalistas sobre a doença. Na ocasião, informou que sentia cansaço, mas não tinha febre.

O médico foi a quarta pessoa a ocupar a secretaria estadual de Saúde do Rio durante a pandemia de covid-19. Quando a situação começou, o secretário era Edmar Santos, que foi exonerado e acabou preso em julho do ano passado, acusado de corrupção nas obras dos hospitais de campanha montados para atender vítimas de covid-19. Ele foi substituído por Fernando Ferry, que permaneceu apenas 36 dias no cargo. Alex Bousquet foi o secretário seguinte, e entregou o cargo em setembro, depois que o então governador Wilson Witzel foi afastado do cargo. Ainda interino, o governador Cláudio Castro (PL) escolheu Chaves para substituí-lo. Em maio passado ele foi trocado pelo atual secretário, Alexandre Chieppe.

“Incansável na luta por salvar vidas no meio desta pandemia. Inteligente, direto e extremamente humano em suas relações, doutor Chaves foi um dos principais responsáveis pela elaboração da exitosa logística de entrega dos imunizantes aos 92 municípios. Exercendo o papel de líder e com a grande sensibilidade que tinha, por muitas vezes conduziu pessoalmente as aeronaves para agilizar a entrega das vacinas ao interior”, afirmou, em nota, o governador. “Todo meu respeito e eterna gratidão pelo bem que fez por nossa população. Em sinal de profundo pesar, decreto luto oficial de três dias. Que Deus possa confortar familiares e amigos”, concluiu Castro.

Tudo o que sabemos sobre:
coronavírusRio de Janeiro [estado]

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.