Fábio Motta/Estadão
Fábio Motta/Estadão

Facadas que mataram médico na Lagoa atingiram pulmão e rim

Segundo laudo, um dos golpes  rasgou uma axila da vítima; Jaime Gold morreu de hemorragia interna decorrente das perfurações

Carina Bacelar, O Estado de S. Paulo

25 Maio 2015 | 14h38

RIO - As facadas desferidas por assaltantes que mataram o médico Jaime Gold, de 56 anos, esfaqueado no dia 19 na Lagoa Rodrigo de Freitas, na zona sul do Rio de Janeiro, atingiram o pulmão esquerdo e até o rim esquerdo da vítima. Um dos golpes - a polícia afirma que foram quatro facadas - rasgou uma axila da vítima.

As informações constam no laudo de necropsia, recebido pela Delegacia de Homicídios (DH) na última semana. No documento, consta que o médico morreu por causa de hemorragia interna decorrente das perfurações.

Na ocasião, Gold chegou a ser levado para o Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea, também na zona sul, e passar por cirurgia, mas não resistiu e morreu na madrugada do dia 20. Os golpes de faca, além da axila, acertaram o tórax e o abdome do médico.

Investigações. De acordo com o delegado titular da unidade especializada, Rivaldo Barbosa, os dois assaltantes que levaram a bicicleta do médico não chegaram sequer a abordá-lo e não deram chance de defesa à vítima. Um dos adolescentes, de 16 anos, suspeito de participar do crime foi apreendido na última quinta-feira, 21. 

"Ele e o outro (suspeito) não deram qualquer oportunidade de defesa. Quando o médico caiu, eles continuaram a esfaqueá-lo", disse Barbosa, logo após a apreensão do menor. Já nesta segunda-feira, 25, ele afirmou que a bicicleta levada do médico ainda não foi localizada.

As buscas pelo segundo suspeito prosseguem, comandadas pela delegada adjunta responsável pelo caso, Patrícia Aguiar. Até agora, a identificação do primeiro adolescente está baseada apenas no reconhecimento de uma única testemunha, que presenciou o crime.

Ainda assim, os investigadores da DH estão certos de que um dos assaltantes era o rapaz apreendido. Em conversa informal com policiais, ele teria admitido praticar assaltos na região usando facas para roubar bicicletas.

Após buscas na última sexta-feira, 22, nas proximidades da Curva do Calombo, região da Lagoa onde Gold foi roubado e esfaqueado, policiais acharam vídeos de câmeras que mostravam os dois autores do crime em uma única bicicleta, mas as imagens estão "distantes" e pouco nítidas. 

Ainda assim, de acordo com a equipe que investiga o caso, o tipo físico e a cor da pele são condizentes com a do menor de idade apreendido na quinta-feira. Na sexta-feira, 22, uma outra vítima de roubo de bicicleta, um  fotógrafo de 36 anos que teve o objeto roubado por dois jovens no Aterro do Flamengo, também na zona sul, reconheceu por foto o adolescente suspeito de ter matado Gold como um dos assaltantes. 

Os investigadores consideram que esse depoimento reforça os indícios contra o adolescente apreendido, apesar de se referir a um caso distinto, ocorrido no dia 30 de abril deste ano. No total, o jovem, que começou a cometer crimes aos 12 anos também em um assalto na Lagoa, em 2010, tem 15 anotações criminais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.