Família espera três dias para embarcar para os EUA

Até o meio-dia, dos 70 vôos programados para sair do Galeão, 23 tiveram mais de uma hora de atraso

Fabiana Cimieri, Estadão

22 Julho 2007 | 16h46

Apesar da aparente tranqüilidade, os atraos persistem, neste domingo, no Aeroporto Internacional Tom Jobim. Em média, os atrasos atingem duas horas. Mas, há casos como o da família da pedagoga aposentada Rita de Cássia e Souza, de 51 anos – que já espera há três diuas para emabarcar para Miami, em um vôos da United Airlines. Até o meio-dia, dos 70 vôos programados para sair do Galeão, 23 (32,8%) tiveram mais de uma hora de atraso e 11 (15,7%) haviam sido cancelados.   Na sexta à noite, Rita, as duas filhas, genros e netos, chegaram a embarcar, mas tiveram que retornar ao Rio quando o avião se aproximava da área de cobertura do Cindacta-4, na Região Norte. "O comandante informou pelo microfone que teríamos que retornar devido a um defeito no radar. Depois do acidente com o avião da TAM, você imagina o pânico que foi ouvir isso", contou.   Na noite de sábado, nova tentativa de embarque para a família de Rita. A United anunciou o cancelamento do vôo às 2h, depois que todos os passageiros já haviam feito um check-in e despachado as bagagens. De acordo com a companhia, uma peça para o avião, que viria de Buenos Aires, ficara retida na Alfândega pela Receita Federal.   "Eles colocaram a gente num hotel, disseram que vão reembolsar os táxis e os gastos com alimentação... E o stress? Quem me reembolsa? Hoje era para eu estar na Disney com minha mulher e meus filhos", reclamou o engenheiro Merhi Daychoum, de 44 anos, que tentava embarcar com a comerciante Vanderléya e os dois filhos, de 13 e 6 anos, nesse mesmo vôo da United.   O atleta canadense Brent Heron, de 23 anos, não se importou com o atraso. Ele também embarcaria no mesmo vôo com destino a Miami. "Eu não ligo. Voltamos para o hotel em Copacabana, pude ir à praia hoje de manhã, saímos ontem à noite", disse ele, acrescentando que em seu país isso não acontece. "No Canadá, os vôos sempre saem no horário."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.