Familiares de jovem morto no Rio fazem ato por justiça

Parentes e amigos do entregador de pizza Rafael Neri, baleado na comunidade da Coroa, marcharam até o Palácio Guanabara

Carina Bacelar, O Estado de S. Paulo

30 de junho de 2015 | 16h08

RIO - Familiares e amigos do entregador de pizza Rafael Neri, morto no domingo, 28, durante ação do Batalhão de Operações Especiais (Bope) na comunidade da Coroa (em Santa Teresa, centro) se deslocaram em ato do cemitério do Catumbi, na zona norte, onde ele foi enterrado na tarde desta terça-feira, 30, até o Palácio Guanabara, em Laranjeiras, sede do governo do Estado. 

O protesto pediu justiça pela morte do jovem, que tinha 23 anos. No local, se reúnem desde a manhã os quatro governadores dos Estados do Sudeste.

No enterro do filho, Lucia Helena Camilo Neri, que usava uma camisa com a foto de Rafael, lembrou que ele queria estudar para entrar em um curso superior e tinha o sonho de andar de avião."Os sonhos de um garoto de 23 tirados assim. Essa ação da polícia não pode ficar impune", afirmou.

Os parentes de Neri reafirmaram que ele foi executado por homens do Bope. Eles dizem ainda que ele foi levado para o Hospital Municipal Souza Aguiar, no centro, sem documentos. 

Neri foi morto com um tiro na cabeça enquanto entregava uma pizza na comunidade da Coroa, que desde sexta-feira, 26, estava ocupada pelo Bope após traficantes renderem policiais da Unidade de Polícia Pacificadora do Fallet, comunidade vizinha em Santa Teresa. 

Tudo o que sabemos sobre:
Rio de Janeiroviolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.