Famílias das vítimas de acidente na ciclovia do Rio serão indenizadas

Prefeitura informou que familiares estão sendo contatados de maneira sigilosa para que se chegue a um acordo financeiro

O Estado de S. Paulo

24 Abril 2016 | 03h00

A prefeitura do Rio anunciou ainda que vai indenizar a família das vítimas. Morreram no desabamento de parte da ciclovia o engenheiro Eduardo Marinho Albuquerque, de 54 anos, e o gari comunitário Ronaldo Severino da Silva, de 60 anos. 

As famílias estão sendo contactadas pela gestão municipal, de forma sigilosa, para que se chegue a um acordo financeiro. “A prefeitura entende a sua responsabilidade nesse episódio”, disse ontem o prefeito Eduardo Paes (PMDB). 

O gari comunitário foi enterrado neste sábado no Cemitério São João Batista, em Botafogo. A viúva, Eliane Santos, contou que o marido havia saído na manhã de quinta-feira da Rocinha, onde morava, para dar uma volta em Copacabana. “Ele sempre fez isso nas folgas. Como você vai adivinhar que vai acontecer isso? Perdi meu marido por nada”, lamentou. 

Paes disse ter procurado as duas famílias, mas conseguiu conversar ao telefone apenas com o cunhado do engenheiro Albuquerque. “Tive a oportunidade de me solidarizar, lamentar o ocorrido.”  

Fim dos trabalhos. Bombeiros encerraram as buscas por mais possíveis vítimas no fim da tarde de ontem. A decisão foi tomada tendo em vista o protocolo de 48 horas de buscas sem que nenhum parente reclamasse o desaparecimento de possíveis vítimas. 

Mais conteúdo sobre:
Eduardo Paes PMDB Botafogo Copacabana

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.