Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão

Filhos da deputada Flordelis continuarão presos, decide Justiça

Homens são suspeitos de envolvimento na morte do pastor Anderson de Souza, marido de Flordelis, no dia 17 de junho. Defesa reclama de condições da cela

Agência Brasil, O Estado de S.Paulo

19 de julho de 2019 | 01h04

RIO - Os filhos da pastora e deputada federal Flordelis (PSD-RJ), Flávio dos Santos Rodrigues e Lucas dos Santos de Souza, continuarão presos na carceragem da Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo (DHNSG), por decisão judicial. Eles cumprem prisão temporária, suspeitos pela morte do pai, pastor Anderson de Souza, desde o dia 17 de junho.

As decisões de prorrogação das prisões foram publicadas no Banco Nacional de Monitoramento de Prisão do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Segundo os advogados, as celas individuais onde Flávio e Lucas se encontram têm pouco mais de dois metros quadrados, sem cama, pia ou vaso sanitário. A polícia argumenta que é importante eles estarem na DHNSG para eventuais esclarecimentos, mas a defesa contesta e aponta as condições inadequadas da carceragem.

“A carceragem é escura e úmida. Não dá acesso básico nem à água para o preso. Eles estão sendo hidratados e alimentados, mas de forma deficiente. É lamentável. A questão é que eles estão acautelados sob a responsabilidade do Estado e têm direitos básicos que têm de ser observados e respeitados”, disse o advogado Maurício Mayr, que defende Flávio.

O pastor Anderson foi morto à tiros após chegar em casa, na madrugada do dia 16 de junho. Segundo a polícia, Flávio confessou ter atirado seis vezes no pai e a pistola usada no crime foi encontrada em seu quarto. Mas a defesa negou que ele tenha confessado oficialmente e disse que Flávio não estava na presença de um defensor quando relatou o fato aos policiais. Lucas, segundo a polícia, teria comprado a pistola. Os motivos do crime ainda não foram divulgados.

Notícias relacionadas

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    Tendências:

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.