Fogo no Morro dos Cabritos é controlado pelos bombeiros

Incêndio atingiu área de preservação ambiental de aproximadamente quatro hectares. Há suspeitas de que o fogo tenha sido provocado pela queda de um balão

Talita Figueiredo

20 de junho de 2010 | 12h38

Incêndio. Para conter as chamas, foi preciso retirar água da Lagoa Rodrigo de Freitas, com a ajuda de um helicóptero.

 

 

RIO DE JANEIRO - Bombeiros ainda trabalham em uma operação de rescaldo do incêndio de grandes proporções que aconteceu neste domingo, 20, e atingiu uma área de preservação ambiental de aproximadamente quatro hectares do Morro dos Cabritos, na zona sul do Rio.

 

O fogo começou por volta das 22h. Água teve de ser retirada da Lagoa Rodrigo de Freitas por helicóptero para ajudar a apagar as chamas. Há suspeitas de que o fogo tenha sido provocado pela queda de um balão, mas as causas do incêndio serão apuradas pela Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente.

 

Pela manhã, o prefeito Eduardo Paes (PMDB) visitou o parque da Catacumba, área de lazer próxima ao local onde os bombeiros trabalhavam, e anunciou que ainda hoje a Secretaria Municipal de Meio Ambiente pôr em prática um "plano emergencial de reflorestamento na área atingida".

 

Não houve feridos, ou casas atingidas, mas alguns moradores de casas de classe média e média alta da região saíram de casa durante a madrugada com medo do fogo e incomodados pela fumaça. "O Rio de Janeiro é uma grande Mata Atlântica, é um lugar que não pode ter balão, imagina se caísse numa favela, quanta gente ia morrer", disse Solange Schvartzer, moradora da ladeira do Sacopã, na Lagoa.

 

Ela ficou acordada até quatro horas da manhã acompanhando as labaredas da janela de casa, quando resolveu ir para a casa de parentes levando seus dois cachorros por causa do forte cheiro de fumaça. Ela é moradora dos condomínio onde os bombeiros entraram para acessar o morro".

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.