Fogo no Parque Serra dos Órgãos já destrói 500 hectares de mata

Fogo no Parque Serra dos Órgãos já destrói 500 hectares de mata

Nesta quarta-feira, 15, incêndio recuou para dentro do parque; na quinta-feira, 16, helicóptero levará brigadistas para locais remotos

Thaise Constancio, O Estado de S. Paulo

15 Outubro 2014 | 15h15

RIO - O incêndio que atinge o Parque Nacional da Serra dos Órgãos, em Petrópolis, na região serrana fluminense, já destruiu 500 hectares de mata desde a semana passada. Bombeiros e funcionários do parque tentam conter os focos de incêndio.

Nesta quarta-feira, 15, o incêndio recuou para dentro do parque - na terça-feira, 14, as equipes brigadistas temiam que as queimadas chegassem perto das áreas habitadas, explicou o chefe do parque, Leandro Goulart.

Nesta quarta-feira, um helicóptero sobrevoa a área para identificar um ponto para montar a base de apoio para os bombeiros. Dois veterinários e dois voluntários estão na região conhecida como Mata Porcos fazendo um levantamento sobre os animais queimados e mortos.

Na quinta-feira, 16, um helicóptero levará os brigadistas para locais remotos próximos dos focos de incêndio para evitar que o fogo se espalhe pelo parque.

Estado. Segundo a assessoria de imprensa do Corpo de Bombeiros, 170 militares de cinco quartéis  - Petrópolis, Itaipava, Alto da Boa Vista, Barra da Tijuca e Central - estão na Região Serrana para combater o fogo na vegetação de Mata Atlântica.

Também são usadas 20 viaturas e cinco helicópteros  - dois do Corpo de Bombeiros, um da Marinha, um da Polícia Militar e um da Polícia Civil. Os esforços estão voltados para os focos em locais remotos, onde não é possível chegar por terra, para que eles não se expandam. 

"A corporação alerta para o período de estiagem que atinge toda a Região Sudeste e pede que as pessoas denunciem atos que possam gerar novas ocorrências, como pessoas que queimam lixo, por exemplo", solicitou, em nota.

Mais conteúdo sobre:
Rio de Janeiro Incêndio Queimadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.